Dar Voz aos Bombeiros - "Os Bombeiros Já Não São o Que Eram" - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

terça-feira, 9 de março de 2021

Dar Voz aos Bombeiros - "Os Bombeiros Já Não São o Que Eram"

 


Há umas décadas envergar uma farda de bombeiro dava estatuto social e isso ajudava a atrair candidatos. 

Actualmente o estatuto social é conseguido mais facilmente de outras formas e além disso os jovens passaram a ter outros interesses e isso, a par da falta de espírito de sacrifício, está a criar uma crise no recrutamento de novos voluntários em muitas corporações de bombeiros.


A situação é tão crítica que já há corpos de bombeiros que estão a fazer recrutas conjuntas, para rentabilizar meios e instrutores, perante a diminuição da procura.


Para agravar o problema, dos poucos interessados em entrar para uma recruta, que dura cerca de um ano, cerca de metade desiste antes da sua conclusão e dos que terminam a formação e entram como estagiários para os quartéis, sobram poucos ao fim do primeiro ano.


Nos últimos 25 anos, os distritos de Portugal continental perderam perto de seis mil bombeiros voluntários, mostra um relatório do Observatório Técnico Independente nomeado pela Assembleia da República.


De acordo com o documento, em 1995 havia em Portugal continental 35.872 bombeiros — dos quais a esmagadora maioria, 33.179, eram voluntários.


Isto significa que a perda de bombeiros se regista quase exclusivamente no setor das associações humanitárias de bombeiros voluntários, que representam a grande maioria dos bombeiros portugueses. Os bombeiros sapadores e municipais (que existem sobretudo nos centros urbanos), que são profissionais, mantiveram-se em torno dos 2.500.


Decididamente, os Bombeiros já não são o que eram.


António Pinto, Bombeiro do Quadro de Honra

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________