"Temos os Números mais Negros e os Culpados Assobiam para o Lado" - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________

quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

"Temos os Números mais Negros e os Culpados Assobiam para o Lado"

 


Desde março que o enfermeiro do Curry Cabral Nuno Moreira relata, na sua página de Facebook, a luta contra a pandemia da Covid-19 dos profissionais de saúde portugueses.


Hoje, dia em que Portugal bateu mais uma vez dois trágicos recordes, com quase 15 mil novos casos de Covid-19 e 219 mortes relacionadas com a doença, o profissional de saúde decidiu publicar mais um emocionante testemunho onde, além de descrever o que está a acontecer, pede que sejam apuradas responsabilidades, depois de o Governo ter aliviado as medidas no Natal.


"E parece que se entrou num estágio letárgico e já não se reage a tamanha barbaridade. Ninguém questiona porque se abriu o país na semana de Natal, para se contagiarem e morrerem milhares de pessoas. E, mesmo agora, com números tão elevados, vamos esperar mais uns dias para se voltar a confinar de forma total. Que desilusão e perda irreparável", começa por escrever Nuno Moreira numa nota intitulada “Tragédia, horror e morte”.


No mesmo testemunho, o enfermeiro reitera que os trabalhadores de saúde estão “exaustos, desesperados e impotentes” e, admite, já escolhem “entre quem vive e quem morre”. Perante esta “tragédia”, Nuno questiona como é que ninguém assume as responsabilidades.


“Temos os números mais negros do mundo e ... não acontece nada? Quem se acusa? Ninguém! É a normalidade no país onde os culpados assobiam para o lado. O Presidente da República e o primeiro-ministro concordam que o pacto social do período de Natal falhou, mas as escolas não precisam de encerrar, vai haver eleições e vamos falhar de novo, para quê?!”, questiona o profissional de saúde, acrescentando que “o amanhã será pior se continuarmos a colocar em causa o trabalho levado à exaustação de todos quantos deram o melhor de si, até muito para além do dever”.


Em jeito de conclusão e já em desespero, Nuno Moreira apela aos portugueses que cumpram as medidas sanitárias decretadas pelas autoridades de saúde, para evitar uma ainda maior propagação do novo coronavírus.


“Peço-vos mais do que nunca que sejam tidas em consideração as normas sanitárias que continuam a ser sistematicamente ignoradas como nos mostram estes números assustadores. Por todos nós e, especialmente, por aqueles que são vítimas desta pandemia, por todos os que perderam esta batalha e pelo país exangue que queremos ver renascer”, rematou.


Fonte: Noticias ao Minuto

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________