Crianças Morrem em Acidente Durante Fuga da Mãe - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sexta-feira, 22 de janeiro de 2021

Crianças Morrem em Acidente Durante Fuga da Mãe

 


A filha, de dois anos, da condutora do carro que se despistou, quinta-feira, contra um muro em Arrouquelas, Rio Maior, morreu esta sexta-feira, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, na sequência dos ferimentos. O acidente provocou ainda a morte do irmão, de três anos, quando ontem ia a caminho do Hospital de Santarém. Os três ocupantes da viatura viajavam sem cinto de segurança.


Pelo que o JN conseguiu apurar, Sofia Nobre sofria de problemas do foro psíquico e esteve internada, no ano passado, no Hospital de Vila Franca de Xira, por esse motivo. Na quinta-feira, tinha levado as crianças de casa da avó, onde viviam por ordem da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ).


"Esteve [Sofia] internada, há uns meses, no Hospital de Vila Franca, porque foi encontrada a vaguear na autoestrada", confirma ao JN o presidente da União de Freguesias de Manique do Intendente, Vila Nova de S. Pedro e Maçussa, José Avelino Correia. "Uma pessoa naquelas condições não devia viver sozinha", defende, em alusão aos problemas psiquiátricos de Sofia.


O autarca revela que a CPCJ começou por determinar que o filho mais velho de Sofia devia ficar ao cuidado da avó materna, que mora em Manique do Intendente, a cerca de seis quilómetros de casa da mãe, em Vila Nova de S. Pedro. Há cerca de seis meses, a CPCJ tomou a mesma decisão em relação à filha mais nova. Ontem, Sofia foi a casa da mãe e, sem que esta se tenha apercebido, fugiu de carro com os dois menores, em direção a Rio Maior, onde tiveram um acidente.


Excesso de velocidade


O comandante dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior, Paulo Cardoso, acredita que os "ferimentos graves" causados à mãe e aos dois filhos se devem ao facto de o carro seguir em excesso de velocidade, o piso estar molhado e os ocupantes viajarem sem cinto de segurança. "A projeção dos corpos leva-nos a crer que não estavam a viajar com o cinto, no momento da colisão", afirma.


Paulo Cardoso admite, por outro lado, que Sofia circulava a uma velocidade superior à permitida no local. "A deformação do carro, na parte frontal, é extremamente elevada, pelo que o acidente pode ter sido causado por excesso de velocidade", observa. A condutora encontra-se internada na unidade de cuidados intensivos do Hospital de Santarém, revelou ao JN fonte hospitalar.


Quanto ao progenitor das duas crianças, José Avelino Correia diz que "nunca foi um pai presente", até porque não morava com Sofia. "Não o via por ali há um tempo. Quando vinha era de passagem", assegura. O JN ouviu ainda outra fonte, residente em Manique do Intendente, que garante que o casal tinha discussões frequentes e que o pai não tinha grande ligação às crianças. "A Sofia era meiga com os filhos, só que, em certas alturas, andava alterada, porque não fazia a medicação", assegura.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________