A Crónica da Ariana: "Hipocrisia Natalícia? Agora Aguentem-se" - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 3 de janeiro de 2021

A Crónica da Ariana: "Hipocrisia Natalícia? Agora Aguentem-se"

 


Tenho dias em que sinceramente fico parva com o que vejo ou leio, nos últimos dias as redes sociais foram repletas de convívios e mesas fartas, afinal as compotas trocadas nas escadas não eram nada absurdas ao lado destes convívios entre miúdos e graúdos que nos vão dar tantas dores e cabeça nos próximos dias. 


Eu nunca tive grande esperança de que estas épocas festivas fossem dar grande resultado (só um grande resultado a nível de infetados) mas pronto agora que as festividades passaram e todos tiveram a oportunidade de estar com as suas famílias, venho agradecer a todos os que tiveram dois ou mais dedos de testa e se controlaram por si e pelos seus.


Vamos agora discutir de novo coisas sérias, bem, quando digo todos não é bem verdade, muitos de nós passaram estes belos dias afastados dos que mais amamos, a dedicar o nosso tempo à nossa vocação, a ajudar aquela malta que agora insiste que não consegue respirar e que, malandros, precisam de um tubo na goela para que algo o faça por eles. 


Enquanto isto, e fruto de medidas pouco claras, com reajuste atrás de reajuste, mal anunciadas, com populações mal sensibilizadas e mal fiscalizadas, tivemos toda uma panóplia de jantares, lanches e outros que tais de Natal, de Ano Novo ou da desculpa de eleição desta semana, porque, tal como para a minha avó ir à mercearia não é sair de casa, as pessoas com quem estamos, “não estiveram com mais ninguém”.( vieram diretamente de uma gruta para a nossa mesa por isso somos 12 a jantar cá em casa sem stress ! )


A todos nós que andamos a dar bocados do nosso corpo e da nossa alma para tentar minimizar e mitigar o impacto que esta pandemia tem sobre a todos, seja porque o que fazemos profissionalmente ou em voluntariado está diretamente relacionado com tal, seja porque não andamos a passear o cão 5 vezes ao dia ( desculpem todos os que aparentemente tem cães que sofrem incontinência urinaria aos fins de semana apos as 13 e necessitam de vários passeios ),e porque não vamos de manhã, à tarde e à noite à padaria (porque o meu João tem que ter pão fresquinho a todas as refeições, porque ele está em crescimento), isto é um golpe particularmente baixo, a roçar na tremenda falta de respeito. 


Mas não se enganem, eu só tenho a agradecer a todos os que acharam que plena pandemia era a altura ideal de juntar o primo Carlos que está na Alemanha, o tio Zé que está na Suíça, e a tia Gertrudes que já não sai do seu quintal há umas boas semanas e precisa de apanhar ar. 


Tenho a agradecer, em parte porque me vão dar trabalho e uso aos ventiladores que todos nós pagamos com os nossos impostos e vieram com instruções em varias línguas menos a nossa e, em parte porque apenas se limitaram a provar o quão inadequada a gestão desta pandemia e da população está a ser feita por parte das entidades que deveriam ser “competentes” , mas que se desengane que o mal não vem só de cima , agradeço também a todos os que não são de todo parvinhos mas gostam de o ser quando lhes convém mais uma vez provaram que os nossos avos lutaram por uma liberdade que não sabemos aproveitar , prova disso é que foi dado um dedo para minimizar a dor da  ausência da proximidade dos ‘’nossos’’ e nós levamos o corpo inteiro.


Desta só tenho a dizer: Não se preocupem, vão ter sempre vaga no SNS para curar as vossas maleitas. Só espero é que tenham pedido como prenda de Natal mais ventiladores e malta com formação em Intensivos. Senão, ignorem o que eu disse antes. 


P. S.: Note-se que com isto não quero dizer que cumpram todas as restrições absolutamente à letra, mas bom senso, gente, bom senso


Ariana Ribeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________