IP quer Investigadas as Causas do Incêndio na Antiga Estação da Boavista - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

IP quer Investigadas as Causas do Incêndio na Antiga Estação da Boavista

 


A Infraestruturas de Portugal, proprietária da antiga estação ferroviária da Boavista, no Porto, vai apresentar às autoridades uma denúncia contra desconhecidos, para apurar as causas do incêndio no edifício para o qual há um pedido de classificação.


À Lusa, o gabinete de comunicação da Infraestruturas de Portugal (IP) indicou que a empresa vai apresentar às autoridades de investigação competentes um auto de notícia, contra desconhecidos, para apurar as causas do incêndio que deflagrou esta madrugada por volta das 03:30 e que, segundo os Sapadores do Porto, consumiu parte do interior e da cobertura do edifício.


A mesma fonte referiu ainda que, neste momento, a IP está ainda a avaliar a extensão dos danos causados pelas chamas.


Na sequência do incêndio desta madrugada, o Movimento por um jardim na Boavista instou as autoridades a investigar as causas e os responsáveis pelo incêndio "criminoso", estranhando a coincidência de o fogo ter acontecido "praticamente a seguir" à publicação de uma notícia que dava conta que estava ainda pendente o pedido de classificação da estação como imóvel de interesse municipal, "e num momento em que o edifício sofre uma enorme pressão para a sua demolição para dar lugar a um espaço comercial".


"Tendo em conta as condições climáticas que afetam o Porto presentemente, o Movimento só pode suspeitar que o incêndio foi uma consequência de fogo posto", assinala o grupo de cidadãos, em comunicado.


Na quinta-feira, numa nota enviada às redações, o movimento mostrava-se ainda preocupado com a aprovação "contraditória" do Pedido de Informação Prévia (PIP) relativo ao projeto da cadeia espanhola sem haver ainda uma resposta ao pedido de reversão do negócio que a própria autarquia enviou ao ministério responsável.


Para os terrenos da antiga estação ferroviária da Boavista estão previstas, além de um grande armazém comercial, a instalação de um hotel e de um edifício de habitação comércio e serviços, cujo PIP foi aprovado pelo município em outubro.


Até ao momento, a cadeia espanhola pagou à IP, proprietária do terreno, 18,7 milhões de euros.


O projeto da cadeia espanhola para a antiga estação ferroviária tem sido alvo de contestação, tendo levado, em junho, um grupo de cerca de 60 personalidades ligadas à academia e ao património ferroviário a pedir a classificação municipal da antiga estação ferroviária da Boavista, depois de a Direção-Geral do Património Cultural ter arquivado o pedido nacional.


Em declarações à Lusa, esta manhã, o comandante dos Sapadores do Porto, Carlos Marques, indicou que, apesar de o combate às chamas ter sido "relativamente fácil", foi necessário o recurso a meios elevatórios, nomeadamente à autoescada, mas a integridade do edifício não foi, contudo, comprometida.


No local estiveram ainda presentes o piquete da Proteção Civil e a PSP, a quem cabe inicialmente investigar as causas do incêndio, tendo sido acionada Divisão Investigação Criminal (DIC) para recolher elementos.


De acordo com a PSP, à partida, não há suspeitas de crime.


Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________