PSP Deteve Nove Pessoas por Fogo Posto nos Últimos Nove Meses - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 5 de novembro de 2020

PSP Deteve Nove Pessoas por Fogo Posto nos Últimos Nove Meses

 


Foram instaurados 115 autos de contraordenação, sobretudo por incumprimento de medidas preventivas, como falta de limpeza dos terrenos ou queimadas e fogueiras sem autorização.


Nove detidos pelo crime de fogo posto e 115 autos de contraordenação resultaram da atividade de fiscalização da PSP, entre 1 de fevereiro e 31 de outubro, na prevenção e combate aos incêndios florestais, informou hoje esta polícia.


"Nessa janela temporal, a PSP concretizou 7.554 ações de vigilância e fiscalização, envolvendo 11.994 polícias que percorreram um total de 88.662 quilómetros, apoiados por 4.114 viaturas", indica um comunicado da PSP sobre a atividade de vigilância e fiscalização desenvolvida na área da sua competência territorial.


A PSP assegurou ainda 1.397 ações de sensibilização e informação sobre a prevenção dos fogos, que envolveram 4.365 cidadãos, sendo que estas ações incidiram sobre as regras sobre o uso do fogo, índice de risco de incêndio rural, definição de zonas críticas e redes de faixas de gestão de combustível.


Adicionalmente, através da linha de emergência 112, cuja operacionalidade, controlo e gestão são permanentemente asseguradas pela PSP, esta polícia recebeu e encaminhou no mesmo período de tempo (fevereiro/outubro) 13.871 chamadas relacionadas com os fogos, que corresponde a uma média diária de 60 contactos telefónicos.


Segundo a PSP, dos 115 autos de contraordenação, as infrações mais comuns foram o incumprimento de medidas preventivas (não realização de ações e trabalhos de gestão de combustível), a realização de queima de sobrantes (queimadas) e fogueiras sem autorização ou em janelas temporais proibidas e o depósito ilegal ou irregular de madeiras e de outros produtos inflamáveis.


A atividade decorreu da condição da PSP enquanto organismo integrante do Sistema Integrado de Operações e Socorro, envolvido neste esforço nacional pela Diretiva Operacional Nacional nº2 – DECIR (Dispositivo Especial de Combate a Incêndios) de 2020, emitida pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).


No comunicado, a PSP apela ainda a todos os cidadãos que preparem atempadamente as ações de gestão de matéria combustível nos terrenos, especialmente os que circundam áreas habitacionais.


Fonte: Renascença

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________