O Pinheiro Bombeiro está de volta — em mais regiões e com taxas de entrega reduzidas - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 17 de novembro de 2020

O Pinheiro Bombeiro está de volta — em mais regiões e com taxas de entrega reduzidas

 


Começou devagar, em 2017, pela ideia de quem se preocupava com a limpeza das matas, no rescaldo de um incêndio que marcou o País. Foi crescendo, tornando-se conhecido, cada vez mais procurado e elogiado. É um projeto único e com ganho para todos: o Pinheiro Bombeiro está de volta, mesmo em ano de pandemia — e até com novidades e mais abrangente, precisamente por causa dela.


A iniciativa tem sido um sucesso, conseguindo cada vez mais adeptos, e percebe-se porquê. Fica feliz quem compra o seu pinheiro de Natal e regressa a um passado em que as árvores eram verdadeiras e não de plástico, com um aspeto e cheiro inigualáveis; ganham os bombeiros portugueses, que recebem apoios pelas vendas; e até o ambiente, já que as árvores que vão para sua casa seriam sempre cortadas para limpar terrenos e prevenir incêndios. Após o uso, são ainda reaproveitadas para biomassa.


O movimento #pinheirobombeiro volta assim em 2020 para iluminar este Natal tão diferente das famílias portuguesas e ajudar ainda mais os Bombeiros Voluntários Portugueses, num ano particularmente difícil para todos.


Já está disponível, segundo diz o departamento de comunicação do projeto à NiT: a partir desta segunda-feira, 16 de novembro, já pode aceder à plataforma Pinheiro Bombeiro e encomendar uma das várias árvores que foram cortadas para limpar as matas e prevenir incêndios. Só tem de alugar o seu pinheiro online e será contactado no prazo máximo de 72 horas para agendar a entrega, que depois varia consoante a localização da morada.


Cada Pinheiro Bombeiro custa 20€ e, à semelhança das últimas edições, por cada árvore alugada, 5€ revertem para a compra de material profissional para apoiar mais de 20 mil bombeiros voluntários. Em 2020, já combateram cerca de 9.500 incêndios e ainda se mantiveram na linha da frente no combate à Covid-19, prestando 85 por cento do serviço de emergência hospitalar.


Por tudo isto, pela primeira vez, a campanha terá mesmo uma abrangência nacional. Com o apoio da Galp, vai ser possível ajudar a causa em todo o País, através da compra de conjuntos de enfeites solidários, que estarão à venda em dezenas de postos de combustível, de norte a sul do País. Os enfeites #pinheirobombeiro são sustentáveis, feitos em madeira, e podem ser adquiridos por 5€, sendo que 1€ reverte a favor da mesma causa.


Já os pinheiros vão este ano poder ser alugados em mais locais do que o habitual, e não apenas em Lisboa ou Porto. Com a colaboração do Grupo Lizauto, os pinheiros já chegaram a Leiria, às Caldas da Rainha e a Torres Vedras — se os quiser ir buscar, já que aqueles que são para entrega continuam a ser em Lisboa e Porto.


A EDP Comercial também se juntou ao projeto e, por cada pinheiro alugado através do Planeta Zero, um Pinheiro Bombeiro será doado a uma instituição de solidariedade. “Com esta parceria pretende-se iluminar o Natal em centenas de instituições por todo o país”, explica a plataforma.


Para alugar um Pinheiro Bombeiro, ou comprar conjuntos de enfeites solidários, só tem de aceder ao site oficial da iniciativa. Pode adicionar os tais enfeites de Natal sustentáveis e feitos em madeira por um valor extra. Se selecionar entregas em casa, verifica logo se a sua morada é abrangida e introduz o local de recepção; se preferir ir depois recolher o seu pinheiro, paga sem a entrega.


Este ano, mais do que nunca, serão privilegiadas as encomendas online e as entregas ao domicílio para evitar deslocações e ajuntamentos. Atenta a esta situação, a Rnters reduziu o valor das entregas em casa, que estão disponíveis apenas em Lisboa e no Porto: o valor ronda os 15€.


No entanto, também é possível alugar Pinheiros Bombeiro presencialmente na Lx Factory em Lisboa, no posto de combustível Galp do Porto (Avenida do Bessa, 45) e nos stands do Grupo Lizauto em Leiria, Caldas da Rainha e Torres Vedras. Os enfeites solidários estão à venda nos mesmos locais e em 41 postos da Galp, distribuídos por todo o País.


No final do aluguer, os pinheiros podem ser devolvidos à Rnters nos locais indicados na plataforma online, para depois serem transformados em biomassa, fazendo com que o aluguer termine também de forma sustentável, em modo economia circular e sustentável.


Pelo quarto ano consecutivo, o Pinheiro Bombeiro volta assim em associação com a Rnters, que é uma startup que permite alugar todo o tipo de artigos. A ideia surgiu primeiro em 2017 quando, após a devastação pelas chamas do Pinhal de Leiria, os fundadores Guilherme Guerra e Francisco Bento decidiram agir e lembraram-se de criar uma utilidade para os pinheiros que precisam de ser cortados para manter os terrenos limpos: levá-los a casa das pessoas, no Natal.


Sendo certo que a magia de um pinheiro verdadeiro é sempre diferente, com esta iniciativa os clientes conseguem — além de prevenir incêndios e de sentir esta magia — poupar dinheiro, já que uma árvore real custa menos do que a maioria das artificiais (com a ressalva, claro, de só durar uma época).


Quanto à vertente solidária, para ter uma ideia, mais de 18 mil euros foram angariados desta forma em 2018. O donativo foi empregue, na totalidade, na compra de luvas e máscaras de combate ao incêndio para todos os quartéis do distrito de Viana do Castelo. Em 2019, a plataforma conseguiu duplicar o número de pinheiros alugados e chegar a um donativo de 24 mil euros para os bombeiros voluntários nacionais.


Cada pinheiro tem cerca de 1,80 metros de altura e um metro de largura e são originários de Almeirim.


Fonte: Nit

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________