Homem Morre Após Ser Picado por Vespas Asiáticas em Gondomar - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 3 de outubro de 2020

Homem Morre Após Ser Picado por Vespas Asiáticas em Gondomar

 


Um homem com cerca de 70 anos morreu esta quinta-feira, ao início da manhã, depois de ter sido picado por vespas asiáticas enquanto apanhava dióspiros numa quinta em Rio Tinto, Gondomar. Outro homem ficou ferido, mas recuperou.


"Nunca tinha visto nada assim", admite Abílio Rodrigues, 60 anos, que foi o primeiro dos dois trabalhadores a ser atacado pelas vespas asiáticas e que hoje já estava de volta à lavoura. "Ontem subi à árvore, estiquei a cana para puxar os dióspiros e elas atacaram-me", explica. Ferraram-lhe o braço e a cabeça, mas aguentou as dores para não cair de um escadote de seis metros.


Quando conseguiu descer, em sofrimento, foi pedir ajuda ao amigo, Celso, que também foi atacado pelas vespas asiáticas. "Olhe, nunca tinha visto nada assim. Fomos os dois pedir socorro e eu fui meter vinagre para ver se aliviava. Quando voltei, o Celso já mal falava."


Abílio ainda pediu socorro, mas já nada havia a fazer. De acordo com João Nunes, comandante dos Bombeiros da Areosa, Celso já "estava em paragem respiratória" quando chegaram ao local. Apesar "das manobras de reanimação, que foram feitas durante hora, não foi possível rever o choque anafilático", esclareceu João Nunes.


O corpo da vítima foi levado para o Instituto de Medicina Legal para autópsia.


"Foi um choque para mim, podíamos ter ido os dois. Isto está a ser muito duro", confessa Abílio, que foi assistido no local por uma médica do centro de saúde de Rio Tinto. Com uma reação ligeira, não precisou de ser transportado para o hospital.


O ninho, com cerca de 40 centímetros de altura, foi neutralizado no mesmo dia pela Proteção Civil. Além dos bombeiros da Areosa, esteve no local a ambulância de Suporte Imediato de Vida de Gondomar e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação do Hospital S. João.


Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________