Incêndio em Oliveira de Frades alastra a concelho vizinho, 700 operacionais no terreno - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 8 de setembro de 2020

Incêndio em Oliveira de Frades alastra a concelho vizinho, 700 operacionais no terreno


O incêndio em Oliveira de Frades, Viseu, alastrou para o concelho vizinho de Sever do Vouga, no distrito de Aveiro, e dirige-se para o concelho de Águeda, tendo atualmente 700 operacionais no terreno, segundo a Proteção Civil.

Cerca das 05:30, o incêndio, que obrigou ao reforço de meios durante a madrugada, era combatido por 698 operacionais, mais 250 que ao início da noite, apoiados por 225 veículos, de acordo com a informação disponível no 'site' da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O fogo chegou ao concelho vizinho de Sever do Vouga ao início da noite e pode alastrar ao concelho vizinho.

Fonte do Comando Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Aveiro, onde os bombeiros combatem as chamas no concelho de Sever do Vouga, disse à Lusa que o vento continua a dificultar o trabalho dos bombeiros, numa altura em que o incêndio se dirige já também para o concelho de Águeda, com muitas povoações na linha do incêndio.

"Para já tem-se conseguido defender todas estas povoações que estão na linha do incêndio, com grande esforço", informou o comandante distrital de operações de Aveiro, António Ribeiro.

O vento forte tem dificultado o combate, confirmou a mesma fonte.

"O fogo continua com forte progressão, por causa dos ventos fortes, de 50 quilómetros por hora, e está a passar neste momento para o concelho de Águeda", precisou o comandante, sublinhando as dificuldades enfrentadas pelos bombeiros.

"Está a ser um combate muito difícil, tanto pelas condições do terreno, como pelo vento. Esperemos que o vento comece a abrandar com o nascer do dia, para termos condições de combate", disse à Lusa.

Um bombeiro de 41 anos morreu na segunda-feira enquanto combatia este incêndio no concelho de Oliveira de Frades, onde o comandante nacional da Proteção Civil, Duarte da Costa, apelou à "tolerância zero no uso do fogo".

No 'site' da ANEPC, cerca das 05:50, havia ainda um incêndio em fase de resolução no distrito da Guarda, em zona de mato, em Vila Chã, no concelho de Seia, que continuava a mobilizar 121 operacionais, apoiados por 34 veículos.

No distrito de Braga, em Celorico de Basto, um incêndio ativo em zona de mato tinha ainda no terreno, à mesma hora, 101 operacionais e 29 viaturas.

Fonte: Lusa

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________