Habitantes da Área Atingida pelo Fogo de Proença-a-Nova devem Manter Estado de Alerta - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Habitantes da Área Atingida pelo Fogo de Proença-a-Nova devem Manter Estado de Alerta


A Proteção Civil pediu esta terça-feira aos habitantes das zonas atingidas pelo incêndio que começou no domingo em Proença-a-Nova para que se mantenham em "alerta" e que cumpram "todas as indicações" que forem dadas pelas autoridades.

O incêndio de Proença-a-Nova, que deflagrou no domingo à tarde, alastrou aos concelhos de Oleiros e Castelo Branco e, pelas 13 horas de hoje, permanecia com cerca de 90% do perímetro dominado.

O Comandante das Operações de Socorro, Pedro Nunes, disse na conferência de imprensa realizada no posto de comando, em Sobreira Formosa, no concelho de Proença-a-Nova, que o incêndio mantinha-se "com 90% do seu perímetro dominado" e "10% ativo".

"As nossas preocupações, neste momento, são estes 10% que nós temos ainda ativos, na zona norte do incêndio, quase na confluência" dos concelhos de Oleiros (distrito de Castelo Branco) com Pampilhosa da Serra (Coimbra).

O comandante referiu que, até às 16 horas, a "grande preocupação" dos meios no terreno tem a ver com uma zona que "medeia entre as Sarnadas de São Simão até à Póvoa de Cambas", abrangendo Póvoa de Cambas, Malhadancha, Vilar Barroco e Sarnadas de São Simão.

A partir dessa hora, quando se prevê a rotação do vento e um aumento da intensidade, as preocupações estarão relacionadas com "toda a parte direita do incêndio, que vai desde o ponto do início até às Sarnadas de São Simão" (zona de Dáspora, Cardosa, Peão, Alvito da Beira e Vale de Figueira).

São duas preocupações em "dois tempos diferentes", embora todo o perímetro do fogo preocupe porque ainda "está muito quente".

"Este território em tudo beneficia o fogo e em tudo dificulta as operações de combate", alertou.

O responsável disse tratar-se de um território "extremamente complexo do ponto de vista da orografia e, depois, também da carga e do combustível que existe".

O comandante apelou aos habitantes da zona atingida pelo incêndio para que "se mantenham alerta" e para que "cumpram de forma escrupulosa todas as indicações que lhes forem dadas".

"Que estejam alerta, mantenham-se em segurança. Se necessitarem de algo, têm o contacto quer dos bombeiros locais quer dos serviços municipais de proteção civil, quer da linha 112, e que cumpram de forma clara aquilo que lhes for indicado quer pelas forças de proteção civil, quer também pelas forças de segurança", apelou.

Pedro Nunes prevê que ao princípio da noite ou na próxima madrugada o fogo seja dado como dominado.

No encontro com os jornalistas, o responsável referiu também que desde o início do fogo e até à data foram registados 10 feridos (incluindo os cinco elementos dos bombeiros de Proença-a-Nova) e 11 pessoas foram assistidas.

Paula Neto, do INEM, adiantou que os feridos são bombeiros e alguns civis (que foram assistidos no local, sobretudo devido a inalação de fumo e a cansaço).

Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________