Bebé Nasceu em Ambulância no Acesso ao Hospital de Braga - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 12 de setembro de 2020

Bebé Nasceu em Ambulância no Acesso ao Hospital de Braga


É um caso raro na cidade dos Arcebispos: um bebé nasceu, esta sexta-feira, com o hospital à vista, a bordo de uma ambulância dos Sapadores de Braga. Mãe e menino estão bem.

Lourenço nasceu, esta sexta-feira, no acesso ao hospital de Braga, cerca das 17.20 horas, numa ambulância dos Sapadores locais. O parto foi conduzido pelos bombeiros Alberto Ferreira, com 19 anos de serviço, e Pedro Fernandes, na corporação há cerca de um ano.

Alberto e o colega Pedro têm formação em partos, mas esta foi a primeira vez que passaram da teoria à prática. "Correu tudo muito bem, foi muito rápido". Tão rápido que quando o pai, que seguia atrás da ambulância, se chegou à viatura dos Sapadores, o bebé já havia nascido. "Quanto bateu na porta, fiz-lhe sinal que estava tudo bem", contou Alberto Ferreira.

Um caso tão rápido quanto raro na capital de distrito minhota. "Felizmente para nós e para as mães, as distâncias para o hospital, em Braga, são curtas". Mas não o suficiente neste caso.

A mãe, Daniela, mora a cerca de três quilómetros do hospital de Braga, na rua Padre Manuel Guimarães. A chamada caiu no quartel dos Sapadores de Braga às 16.50 horas e menos de meia hora depois Lourenço já tinha dado sinal ao mundo.

"Nasceu com o hospital à vista". Cinco minutos depois, mãe e filho recém-nascido davam entrada naquela unidade hospitalar para continuarem o acompanhamento.

"É um dia que não dá para esquecer, um momento que fica para a vida", disse Alberto Ferreira. Como pai, já tinha assistido aos partos dos três filhos, mas foi a primeira vez que teve de ajudar um bebé a nascer. "Foi um parto normal, a mãe ajudou e correu tudo bem", acrescentou.

Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________