Incêndio em Silves Fere Um Bombeiro e Obriga à Retirada de Um Morador - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

segunda-feira, 6 de julho de 2020

Incêndio em Silves Fere Um Bombeiro e Obriga à Retirada de Um Morador


A Proteção Civil espera "condições mais favoráveis" de combate ao incêndio em Silves a partir das 22:00, com a descida das temperaturas e acalmia do vento, tendo já deslocado uma pessoa, por precaução, havendo um bombeiro ferido ligeiramente.

Segundo o comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Duarte Costa, o incêndio em Boião, São Marcos da Serra, no concelho de Silves, no Algarve, tinha às 17:45 duas frentes ativas, que lavravam em zona de mato, sem colocar até ao momento qualquer habitação em perigo.

"Temos o incêndio ativo com duas frentes ativas em mato, as dificuldades foram motivadas pelo vento forte e complexidade topográfica, com alguns focos secundários. Algumas habitações dispersas estão na zona onde pode haver o deslocamento do próprio incêndio, mas nenhuma em perigo neste momento", disse.

No entanto, adiantou Duarte Costa em conferência de imprensa na sede ANEPC, em Oeiras, sobre a situação de risco de incêndio rural para as próximas 72 horas, uma pessoa com mobilidade reduzida foi retirada de sua casa "por precaução", tendo sido deslocada para uma zona de segurança.

Há ainda a registar um bombeiro ferido, com queimaduras ligeiras nos membros inferiores, acrescentou o comandante operacional nacional.

O incêndio tinha perto das 18:00 um total de 223 bombeiros no combate às chamas, mas, adiantou o comandante Duarte Costa, encontravam-se nessa altura a caminho do Algarve dois grupos de reforço oriundos de Setúbal e de Évora e um pelotão de ataque estendido da Guarda Nacional Republicana (GNR).

À mesma hora estavam também empenhados no combate 65 veículos, 12 meios aéreos e três máquinas de rasto.

"Condições mais favoráveis para o combate a este incêndio esperamos obtê-las às 22:00, com redução da velocidade do vento e descida das temperaturas", disse o comandante nacional Duarte Costa.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) decretou hoje a passagem de nove distritos, maioritariamente no interior, ao estado de alerta especial laranja nas próximas 72 horas devido a risco de incêndio rural muito elevado ou máximo.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________