Dois Bombeiros Feridos Durante Combate às Chamas em Chaves - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Dois Bombeiros Feridos Durante Combate às Chamas em Chaves


Oito meios aéreos e mais de 200 operacionais estão a combater um incêndio em Vila Verde da Raia, Chaves, tendo como principal dificuldade o vento forte, disse o comandante distrital de operações de socorro de Vila Real.

Segundo apurou o CM, as chamas consumiram já alguns armazéns e barracões no local. Dois bombeiros ficaram feridos com queimaduras, após um acidente durante o combate.

Álvaro Ribeiro afirmou à agência Lusa que o incêndio teve "várias projeções" e está "com grande intensidade" devido ao "vento que se faz sentir" e do tempo "muito quente".
O fogo lavra, segundo o responsável, "numa zona de muito arvoredo".

Álvaro Ribeiro disse que foram mobilizados para o local 222 operacionais, 70 veículos e oito meios aéreos.

O alerta foi dado pelas 13h37.

Autarca de Chaves suspeita de fogo posto em Vila Verde da Raia

O presidente da Câmara de Chaves, Nuno Vaz, disse que "estranhamente" o incêndio que deflagrou em Vila Verde da Raia, teve "três a quatro focos iniciais" o que leva a suspeitar de uma "ação criminosa".

"O combate está sobretudo centrado na defesa e proteção das habitações. O comando tem mobilizado recursos e meios no sentido de garantir que as vidas humanas e as habitações destas populações não são afetadas. Tem sido aí o foco principal", salientou.

As preocupações, de acordo com o presidente, estão também centradas na possibilidade de ocorrer uma "tempestade seca", o que significa que "muito calor com uma intensidade de ventos" pode "pôr em causa a operacionalidade dos meios".

"A situação, neste momento, inspira muitos cuidados", frisou.

Porque o fogo está na zona de fronteira, o autarca disse que tem havido "comunicações entre os comandos" no sentido de que possam ser mobilizados também meios da Galiza.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________