Teste de Fogo: Estamos Preparados para a Época de Incêndios? - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 7 de junho de 2020

Teste de Fogo: Estamos Preparados para a Época de Incêndios?

Ao mesmo tempo que a covid-19 se dava a conhecer, um plano para a época de incêndios florestais ia ganhando forma. Portugal não guarda boas memórias de um flagelo que tem semeado devastação um pouco por todo o mundo.

O verão está a chegar, e Eduardo Cabrita sabe que não há nada a fazer quanto a isso. “O Governo pode dar moratórias no pagamento de impostos, atrasar pagamentos de rendas, determinar o fecho de atividades económicas, mas não consegue adiar o verão", disse o ministro da Administração Interna no final de uma visita à Liga dos Bombeiros Portugueses, aquando da comemoração do Dia do Bombeiro Português, a 4 de maio. O tema era incontornável: a chegada do calor significa a chegada dos incêndios.

O assunto tem rastilho curto. Tem dentro as 114 vidas perdidas em 2017, um sistema de comunicações que não comunicou, a demissão da ministra da tutela, um país em choque. Tem também, dois anos depois, golas antifumo inflamáveis e a demissão de um secretário de Estado. A nível europeu, os incêndios florestais destacam Portugal pelas piores razões. 

Segundo os dados mais recentes da Pordata, o país viu arder quase 45 mil hectares do seu território em 2018, mais do que qualquer outro país da UE. Espanha, que vem logo a seguir, perdeu pouco mais de 25 mil hectares para o fogo no mesmo ano, sendo que é preciso recuar até 2008 para ver outro país que não estes dois a liderar o ranking. Portugal também foi o país da UE com mais incêndios florestais (12.273). Este padrão — mais incêndios, mais área queimada — repete-se desde 2016.

Fonte: Expresso

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________