Fogo no Algarve mantém-se dominado mas dispositivo segue no terreno - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 21 de junho de 2020

Fogo no Algarve mantém-se dominado mas dispositivo segue no terreno


O incêndio que deflagrou na sexta-feira em Aljezur e alastrou a Lagos e Vila do Bispo continua dominado, mas o vento forte está a fazer o dispositivo manter-se no terreno para responder a eventuais reativações, disse a Proteção Civil.

O comandante distrital de operações de socorro de Faro, Vítor Vaz Pinto, fez um ponto de situação do combate ao fogo no centro educativo de Budens, concelho de Vila do Bispo, e afirmou que o "incêndio se encontra dominado desde as 9.10 horas do dia de ontem [sábado]", mas reconheceu que "a última noite foi muito complicada, como se esperava", devido à força do vento.

"O vento soprou com grande intensidade, do quadrante norte e noroeste, o que dificultou a tarefa de todos os combatentes no teatro de operações", disse o comandante.

Os bombeiros tiveram durante a noite de responder a "um conjunto de reativações, de maior ou menor intensidade", mas todas elas, "com maior ou menor dificuldade, foram extintas e ficaram dominadas", acrescentou Vaz Pinto.

O comandante distrital da Proteção Civil de Faro antecipou uma tarde também com vento intenso e disse que o dispositivo vai manter-se no terreno, com apoio de "uma bateria de máquinas de rasto em todo o perímetro do incêndio", para ir consolidando a extinção do fogo.

"A partir da tarde vai intensificar-se o vento, aliás este domingo o vento que se regista tem mais intensidade do que ontem [sábado] e a partir das 14 horas vai-se intensificar, o que não é uma boa notícia para quem tem de combater o incêndio, mas neste momento a situação está dentro da normalidade e do que era expectável", antecipou.

Vaz Pinto adiantou também que estão no terreno a participar nas operações "488 combatentes, de 91 entidades, apoiados por 154 veículos e seis meios aéreos, dois aviões e quatro helicópteros", e destacou que "não há feridos a registar, quer da parte da população, quer da parte dos combatentes".

"O vento vai estar forte até às 23 horas, até por volta da meia-noite, e aproveitava para apelar à população para que, até quarta-feira, dias de grande perigosidade no risco para incêndios florestais, evite comportamentos de risco no que diz respeito ao uso do fogo", alertou.

Este incêndio florestal teve início na sexta-feira ao início da tarde, em Vilarinha, freguesia de Bordeira, concelho de Aljezur, alastrou a Lagos e Vila do Bispo e foi dado como dominado às 9.10 horas de sábado, afetando uma área de 25 quilómetros por 10.

Desde sábado de manhã que o dispositivo de combate ao fogo se mantém no terreno para responder a eventuais reativações, que têm sido frequentes devido à intensidade do vento que se faz sentir na zona e às elevadas temperaturas.

O fogo obrigou a deslocar 35 pessoas e atingiu barracões ilegais e caravanas, mas ninguém solicitou o apoio das autoridades para encontrar local para pernoitar, apesar de a Câmara de Vila do Bispo ter preparado locais para o efeito, disse o presidente da Câmara, Adelino Soares.

Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________