Covid-19. OMS admite que temos de nos preparar para uma segunda vaga depois de ter dito que era muito improvável que ela acontecesse - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 26 de maio de 2020

Covid-19. OMS admite que temos de nos preparar para uma segunda vaga depois de ter dito que era muito improvável que ela acontecesse


O diretor-executivo do programa de Emergências Sanitárias da organização alertou que "não podemos supor [que os números de novas infeções] vão continuar a descer e que teremos alguns meses para nos preparar para uma segunda vaga". Horas antes, a diretora do Departamento de Saúde Pública da OMS afirmara que é "cada vez mais" improvável uma segunda grande vaga do novo coronavírus, mas aconselhou muita prudência.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou esta segunda-feira que a pandemia da covid-19 não vai dar descanso mesmo nos países onde o contágio foi contido e que uma possível "segunda vaga" de contágio não tem data marcada.

Na habitual conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, o diretor-executivo do programa de Emergências Sanitárias da organização, Michael Ryan, afirmou que é preciso "estar ciente de que a doença pode disparar a qualquer altura". "Não podemos supor [que os números de novas infeções] vão continuar a descer e que teremos alguns meses para nos preparar para uma segunda vaga. Pode acontecer um segundo pico, como aconteceu noutras pandemias, como na da gripe pneumónica", afirmou.

A principal responsável técnica no combate à covid-19, Maria Van Kerkhove, salientou que os estudos de seroprevalência já efetuados são poucos – só dois publicados e cerca de 20 em pré-publicação mostram que "uma grande parte da população continua suscetível" ao novo coronavírus. "Se encontrar uma oportunidade, este vírus provocará surtos. Uma característica única deste coronavírus é a capacidade de se amplificar em certos ambientes fechados, com uma super-propagação, como temos visto em lares de idosos ou hospitais", acrescentou.

Horas antes, a diretora do Departamento de Saúde Pública da OMS, María Neira, afirmou que é "cada vez mais" improvável uma segunda grande vaga do novo coronavírus, mas aconselhou muita prudência. Em entrevista à rádio catalã RAC1, Maria Neira indicou que os modelos de previsão com que a OMS trabalha "avançam muitas possibilidades, desde novos surtos pontuais a uma nova vaga importante, mas esta última possibilidade é cada vez mais de descartar".

Fonte: Expresso

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________