Paulo Rodrigues é o Novo Comandante Interino dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Paulo Rodrigues é o Novo Comandante Interino dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viana do Castelo informou hoje que Paulo Rodrigues assumiu as funções de comandante interino da corporação, após a demissão, na segunda-feira, de Cândido Carvalho, que alegou ser "maltratado" pela direção.

Em comunicado, a Associação Humanitária adiantou que Paulo Rodrigues desempenhou até agora as funções de segundo comandante e que no cargo de comandante interino que agora assumiu vai ser coadjuvado pelo adjunto Manuel Cadilha.

A Associação Humanitária, presidida por José Salgado, acrescentou que o pedido de demissão de Cândido Carvalho, “recebido com pesar”, foi aceite na terça-feira.

“O comandante Cândido Carvalho partilhou connosco, e defendeu no total da palavra o lema de Vida por Vida, em diversas ocasiões com elevado sacrifício pessoal e familiar. Pautou os últimos 25 anos em que comandou este corpo de bombeiros, com dedicação e engrandecimento do mesmo, sendo para muitos, exemplo de referência, assim como o seu contributo com diversas direções anteriores”, destaca a nota assinada pela direção da corporação que também é presidida por José Salgado.

A corporação refere “ser momento de mostrar a gratidão e reconhecimento, apesar de divergências pontuais de opinião”.

“Nunca no nosso trabalho sentimos qualquer necessidade de maltratar ninguém, são esses momentos que nos levam à elevação e a qualidade do nosso servir”, frisa a corporação com 139 anos.

Na segunda-feira,  Cândido Carvalho disse “nunca se ter sido tão maltratado por uma direção”, como pela atual.

“Estou nos bombeiros há 45 anos. Como comandante há 25 anos e nunca eu como os meus colegas do comando fomos tão maltratados por uma direção”, referiu.

Fonte: Radio Alto Minho

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________