Ministro Anuncia Reforço para o DECIR - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Ministro Anuncia Reforço para o DECIR


O ministro da Administração Interna anunciou, ontem, um reforço de meios para combate a incêndios rurais. Sobre o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), Eduardo Cabrita começou por salientar “dois anos marcados por um entrosamento entre todas as entidades do sistema”, que, considerou, ter contribuído para "resultados muito meritórios" tendo em conta a diminuição de “cerca de 45% do número de incêndios rurais” e, também, a “redução em 70% da área ardida”, relativamente à média dos últimos dez anos". 

O dispositivo deste ano "consolida uma intervenção adicional", e reforça em 3% os meios disponibilizados em 2019, sublinha o governante.

Neste âmbito, Eduardo Cabrita congratula-se com o que apelidou de um “verdadeiro renascimento”, traduzido num reforço de 155 novos guardas florestais, “quando não havia recrutamento” desde 2004, sublinhando ainda “um reforço significativo” de sapadores florestais e do “dispositivo aéreo”, contratado para quatro anos. 

Feitas as contas, no combate a incêndios rurais, em 2020, durante a fase mais crítica estarão 11827 operacionais, mais cerca de 500 efetivos que em 2019, apoiados por 2664 meios terrestres, cerca de 200 mais que no último ano, e 60 meios aéreos, número idêntico ao do ano passado.

Os quase de 12 mil operacionais incluem, para além dos bombeiros – que, refira-se, são, o pilar da proteção civil, também, no combate a incêndios rurais – sapadores e guardas florestais, Força Especial de Proteção Civil, Polícia de Segurança Pública (PSP) e Guarda Nacional Republicana (GNR). Importa, ainda, acrescentar neste mecanismo a rede nacional de postos e vigia, com 230 torres e 920 vigias e vários pelotões das Forças Armadas para ações de rescaldo, vigilância e dissuasão.

A diretiva, aprovada esta terça-feira, assenta na “prevenção de comportamentos de risco e na rapidez em detetar os incêndios e também no seu ataque rápido”, que, segundo a tutela, permitiram, nos últimos dois anos, vencer 94% dos incêndios no ataque inicial.

A Diretiva Operacional Nacional (DON) que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) foi aprovada pela Comissão Nacional de Proteção Civil, numa reunião realizada na sede Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide.

LBP

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________