Câmara e bombeiros de Vale de Cambra contra "sonegação de informação" sobre coronavírus - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 11 de abril de 2020

Câmara e bombeiros de Vale de Cambra contra "sonegação de informação" sobre coronavírus


Câmara e Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra manifestaram-se este sábado contra a "sonegação de informação" imposta pelo Governo quanto à covid-19, depois de na sexta-feira o Ministério da Saúde ter proibido a divulgação de dados não autorizados pela tutela.

Em causa está o balanço diário que essas instituições do distrito de Aveiro vinham fazendo sobre a evolução epidemiológica local da doença, com base em números que eram disponibilizados pelo delegado de saúde do município e que esse está agora proibido de divulgar, face a instruções superiores para que só seja partilhada estatística da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Para o presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra, José Pinheiro, a decisão do Governo traduz-se numa "sonegação da informação que a todos prejudica", sobretudo tendo em conta que nesse concelho de quase 26.000 habitantes a autarquia já registava na sexta-feira 100 casos da covid-19 - 51 dos quais num único lar de Terceira Idade - e que a contabilidade da DGS continua a referir menos de 50 infeções há vários dias.

Numa posição tornada pública via rede social Facebook, o autarca do CDS-PP defende que o comportamento agora imposto pela tutela representa "um claro prejuízo para os concelhos que tinham uma informação correta em cada dia e assim a comunicavam aos seus munícipes".

Nessa perspetiva, José Pinheiro encara a decisão do Ministério da Saúde como "reprovável" e diz que essa vem apenas juntar-se "à dificuldade em conseguir realizar testes" de rastreio à covid-19, uma vez que, se não fosse pelo "empenho da Câmara Municipal, muitos deles não chegavam" ao território.

Nos Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra, também o comandante Vítor Machado adota posição semelhante: "Lamentável é, provavelmente, a palavra indicada para o momento, quando um município que tudo tem feito para responder à pandemia, que gasta os seus recursos para responder e substituir quem deveria responder, e que tem tomado todas as decisões apropriadas a cada situação, agora deixa de poder ser informado da real condição do seu território".

Recordando a "subida vertiginosa" de casos da covid-19 no concelho, onde a meio da semana o número de infetados praticamente duplicou na sequência de dezenas de testes efetuados no referido lar da Fundação Luiz Bernardo de Almeida, o comandante da corporação critica a decisão da DGS de proibir os delegados locais de saúde pública de disponibilizarem dados aos presidentes de Câmara - e, por inerência do cargo, à Comissão Municipal de Proteção Civil.

Vítor Machado admite que os números recolhidos localmente "fazem soar alarme" - são mais elevados que os da tutela porque mais rapidamente atualizados -, mas defende que esses dados "também fazem com que a população adote medidas mais restringidas no seu dia-a-dia - o que é bom e tem reflexo nos possíveis contágios".

O chefe do corpo ativo dos Bombeiros Voluntários de Vale de Cambra realça, por isso, que, ao impedir a cedência de informação à câmara e à Comissão Municipal de Proteção Civil, o Governo limita toda a operação a montante da resposta hospitalar.

"Faz com que deixemos de ter uma linha orientadora de intervenção e de ter a real noção da gravidade ao nível local", argumenta Vítor Machado, apelando a que as autarquias "evidenciem junto da tutela o facto de que quem paga tem direito a ser informado".

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________