Bombeiros de Beja Deixam de Transportar Doentes com Covid-19 - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Bombeiros de Beja Deixam de Transportar Doentes com Covid-19


Os comandantes das 15 corporações de bombeiros do distrito de Beja sentem-se desrespeitados e tomaram uma posição de força contra o Governo, decidindo recusar o transporte de doentes de Covid-19. Garantem apenas o socorro pré-hospitalar "nas condições protocoladas com o INEM".

Mas os bombeiros vão mais longe nas suas posições e "declinam a mobilização de meios por parte da linha Saúde 24" por não lhe reconhecerem autoridade no setor, "exigindo o respeito" dos outros parceiros, "não bloqueando o fluxo de informação relacionada com potenciais contágios".

Solicitam às entidades que dirigem as Comissões de Proteção Civil que "exijam das autoridades de saúde" toda a informação pertinente, nomeadamente "as listagens locais das moradas dos casos positivos e em isolamento" provocadas pela Covid-19.

Esta posição de força das corporações é sustentada em comunicado emitido pela Federação de Bombeiros do Distrito de Beja (FBDB), depois de uma reunião realizada na segunda-feira, em que que consideram que, desde o início da pandemia, as autoridades de saúde pública, delegados de saúde locais, Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, SNS24 e INEM "têm assumido uma postura de total desconsideração, desinformação e desrespeito pelos principais agentes de proteção civil, os bombeiros".

No documento da FBDB, aponta-se o dedo à ANEPC, acusando a estrutura distrital de "pura inação", sustentando que em mais de um mês de crise pandémica "realizou uma reunião" com os Corpos de Bombeiros "onde os nossos problemas e preocupações ficam sem resposta", atiram.

Se poupar nas palavras, os 15 comandantes desancam a estrutura distrital da ANEPC, comandada pelo Tenente-coronel Vítor Cabrita, frisando que os "únicos contributos" passam pelo reencaminhamento de emails de catálogos de venda de produtos e equipamentos, "fazendo inveja às mais apuradas estratégias de marketing das empresas".

O comunicado da FBDB dá ainda corpo a duas exigências dos Corpos de Bombeiros: "o apoio à aquisição/e ou fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual em quantidades suficientes ao cumprimento da nossa missão e o cumprimento das orientações da DGS, em submeter prioritariamente os bombeiros a testes de despistagem", rematam.

Fonte: JN

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________