INEM tem Défice de Mais de 400 Técnicos e Enfermeiros - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

INEM tem Défice de Mais de 400 Técnicos e Enfermeiros


Falta de operacionais deixa ambulâncias paradas todos os dias e dilata os tempos de resposta

Em 2019, saídas de profissionais voltaram a superar as entradas. Concursos não supriram carências que prejudicam operacionalidade das ambulâncias e tempos de atendimento.

No Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), faltam atualmente 386 técnicos de emergência pré-hospitalar (TEPH) e 23 enfermeiros. A escassez de profissionais deixa ambulâncias paradas todos os dias e reflete-se nos tempos de atendimento das chamadas e do socorro. O problema não é novo e, apesar das promessas para o resolver, pouco ou nada mudou: os concursos abertos para contratar pessoal não chegam para cobrir as saídas.

Os números foram enviados ao JN pelo INEM. Os postos de trabalho vazios são calculados pela diferença entre os lugares previstos no mapa de pessoal para 2020 e o número de efetivos a 31 de janeiro último. 

É nos TEPH que se observa a diferença mais significativa: dos 1318 postos de trabalho previstos para 2020, a 31 de janeiro estavam preenchidos 948, o que totaliza 370 lugares por ocupar. Destes últimos, nota o INEM, 104 estão em mobilidade fora da instituição. Entre os 27 TEPH com funções de coordenação necessários em 2020, há 16 postos de trabalho por preencher. 

Já nos enfermeiros, as necessidades apontam para 216, mas, no fim de janeiro, estavam ao serviço 170. Contudo, no início de fevereiro, foram contratados 23 enfermeiros, o que reduziu os lugares vagos para 23.

Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________