DGS Levou Duas Horas a Responder às Suspeitas de Coronavírus em Felgueiras - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 2 de fevereiro de 2020

DGS Levou Duas Horas a Responder às Suspeitas de Coronavírus em Felgueiras


O INEM aguardou cerca de duas horas que a Direção-Geral da Saúde (DGS) validasse o caso suspeito de coronavírus em Felgueiras, anteontem. Apesar de o contacto do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) para a Linha de Apoio ao Médico da DGS ter sido feito cerca das 16 horas, o doente esteve isolado dentro de uma ambulância quase cinco horas, até ter dado entrada no Hospital de São João, no Porto.

Confrontado pelo JN sobre a demora, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) argumentou, ontem, que "recebeu a indicação da DGS a validar o caso suspeito de coronavírus às 18 horas, momento em que procedeu ao acionamento da equipa de transporte especializado do INEM do Porto".

A autorização foi pedida pelo "médico regulador do CODU do INEM". Do outro lado, a linha da DGS, integrada no plano de prevenção e controlo da infeção, a rapidez não foi palavra de ordem.

O JN questionou a DGS mas não obteve resposta. Porém, anteontem, à hora que aquela entidade validava a resposta do INEM, o JN questionava a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, que admitia nada saber sobre tal caso suspeito.

NOITE PASSADA EM SOBRESSALTO

As análises feitas ao suspeito de coronavírus, um italiano de 62 anos, deram negativo e isso fez com que na empresa onde o homem esteve a prestar serviço, em Felgueiras, se suspirasse de alívio.

A noite foi "de sobressalto", contaram, ontem, os responsáveis da empresa de calçado Armipex. "Foi um alívio. Foi uma noite complicada, mas agora está tudo bem", afirmou José Martins, genro do proprietário da Armipex, que dormiu separado da mulher, por esta ter contactado com o doente.

Este segundo caso suspeito de coronavírus em Portugal tinha regressado da China no passado dia 22 e estava no nosso país há três dias, depois de uma passagem por Itália. Anteontem, sentiu-se mal: apresentava febre e falta de ar.

Perante estes sintomas, foi levado a uma clínica e depois regressou à empresa, onde ficou colocado numa sala sozinho. Perante as suspeitas de que poderia tratar-se de um caso de coronavírus, os responsáveis da Armipex distribuíram máscaras pelos cerca de 90 funcionários e isolaram-nos.

Após contacto com a Linha Saúde 24, os Bombeiros de Felgueiras encaminharam uma ambulância, onde o doente ficou retido quase cinco horas, até ser transportado para o Hospital de São João. Ficou isolado até serem conhecidos ontem os resultados negativos das análises. 

Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________