Comandante Esteve 35 Horas a Liderar Combate a Fogo em Vila de Rei - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Comandante Esteve 35 Horas a Liderar Combate a Fogo em Vila de Rei


Um comandante esteve durante 35 horas seguidas à frente das operações de combate ao maior incêndio de 2019 - deflagrou no dia 21 de julho em Fundada, Vila de Rei, e depois alastrou aos concelhos vizinhos da Sertã e Mação.

Esta é outra observação crítica explicita à forma como foi combatido o incêndio e que consta no relatório do Observatório Técnico Independente (OTI) relevado na segunda-feira.

Tal como o CM adiantou na edição desta terça-feira, o deficiente empenhamento dos meios aéreos contribuiu para a duração - cinco dias - do incêndio, mas a forma como foi feita a transição dos comandantes das operações de socorro num incêndio destas dimensões voltou a ser questionada, tal como aconteceu nos grandes incêndios de 2017. É das "principais debilidades", reforçam os técnicos do OTI.

Lê-se no relatório que as rendições do líder do comando em fases críticas de gestão do incêndio "não foram feitas na janela temporal possível". E deu o exemplo de um comandante que esteve a liderar o ataque ao incêndio durante 35 horas seguidas. No caso foi Belo Costa, Comandante do Agrupamento Distrital, que comandou o ataque ao fogo entre as 21h30 do dia 22 e as 08h30 do dia 24.

Um outro pormenor referido no relatório sobre o incêndio que destruiu mais de nove mil hectares de floresta, prende-se com o posto de comando que foi alterado e a viatura que lhe dava suporte foi substituída por outra, levando consigo toda a informação recolhida até então.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________