Liga dos Bombeiros repudia violência contra corporações de Borba e Elvas - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 6 de novembro de 2019

Liga dos Bombeiros repudia violência contra corporações de Borba e Elvas


A Liga dos Bombeiros Portugueses repudiou esta terça-feira os "atos de violência" perpetrados contra bombeiros das corporações de Borba e Elvas, no Alentejo, e solicitou ao Governo uma "resposta urgente" sobre quais as medidas de segurança que preconiza.

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), presidida por Jaime Marta Soares, manifestou o "mais vivo repúdio" perante "os recentes acontecimentos envolvendo as Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários de Borba e Elvas".

"A LBP, em reunião extraordinária do seu secretariado executivo, decidiu solicitar ao Ministro da Administração Interna uma resposta urgente sobre que medidas de segurança preconiza para os bombeiros portugueses no exercício da sua nobre missão de socorro às populações", anunciou o organismo.

A tomada de posição da estrutura presidida por Jaime Marta Soares surge na sequência dos "atos de violência" ocorridos nos últimos dias, primeiro na madrugada de sábado, no quartel da corporação de Borba, no distrito de Évora, em que dois bombeiros ficaram feridos, e, depois, esta segunda-feira, no hospital de Elvas (Portalegre), em que dois bombeiros da corporação local foram ameaçados.

"A invasão violenta das instalações da Associação [Humanitária dos Bombeiros Voluntários] de Borba e as ameaças de morte aos Bombeiros de Elvas no serviço de urgências do Hospital de Santa Luzia merecem, desde a primeira hora, o vivo repúdio e a solidariedade da LBP para com os seus bombeiros e dirigentes, em consonância" com a posição que já tinha sido assumida pela Federação dos Bombeiros do Distrito de Évora, pode ler-se.

Segundo a LBP, no comunicado assinado por Jaime Marta Soares, trata-se de "ataques, baixos, cobardes e repugnantes", os quais "devem merecer de todos a exigência de uma resposta pronta e eficaz da parte da justiça, punindo exemplarmente os agressores".

A LBP revelou ainda já ter disponibilizado o seu gabinete jurídico para prestar apoio às duas associações e respetivas corporações de bombeiros.

Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________