"O Cheiro da Morte Nunca se Esquece, Fica Entranhado em Nós" - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 15 de outubro de 2019

"O Cheiro da Morte Nunca se Esquece, Fica Entranhado em Nós"


Senhor Presidente da República e Sr.Primeiro Ministro :

Há ja algum tempo que não lhes escrevo....e hoje quero apresentar-vos o Eusébio... o Eusébio é a mascote dos voluntários do Penedo, foi adotado por nós quando assentamos arraias no Penedo a 16 de Outubro.

O Eusébio sabe de tudo, porque o Eusébio não é um cão qualquer, é um sobrevivente ao incêndio de 2017...
O Eusébio assistiu desde o início ao diabo a queimar tudo aquilo que esta foto alcança e muito mais....

O Eusébio viu pânico nas pessoas quando o fogo aqui chegou.
Viu casas a arder, viu pessoas a ficarem feridas, viu animais a morrerem queimados, sentiu o cheiro a morte.

Sabem senhores PR e PM, o cheiro da morte nunca se esquece, fica entranhado em nós, assim como o fumo, mas esse vai até aos pulmões também.

E vou começar ja por aqui: já o ano passado houve muita infeções, respiratórias, em gente idosa, porque como bem sabe, e maior parte das pessoas destes aldeias do nosso interior profundo, sao idosas...

Ja o ano passado o Eusébio sugeriu que se enviassem as carrinhas de rastreios da CDP ( centro diagnósticos de tuberculose, penso que será essa a designação) pelas ALDEIAS, não nas sedes de freguesia, mas por todas as aldeias, com dia e hora a combinar, para que o maior número de pessoas possam ser rastreadas.
Sabem tão bem como o Eusébio que, o fumo que foi inalado no dia do incendios e nos meses a seguir, não é benéfico para ninguém. Mas como me diz o Eusébio, eu não sou médico, ninguém me vai dar atenção.

Sabem que mais viu o Eusébio? Dias, meses, anos para se iniciarem as obras das habitações. Habitações de primeira, e que passado dois anos ainda ha algumas que não estão prontos, e as que já estão, diz o Eusébio, que também não é arquiteto, engenheiro, empreiteiro, sub-empreiteiro, estao vergonhosamente construidas, com acabamentos vergonhosos, com materias de qualidade duvidosa....

O que preocupa o Eusébio é que com a história de cinco anos de garantia, muita gente não se vai aperceber da má qualidade dos materias. A esperança do Eusébio é que muitas delas se detiorem antes dessa altura....

O Eusébio durante estes dois anos, também viu nestas reconstruções, material a ser desviado para obras que nada tinham a ver com incêndios, viu empregados de empresas a serem " emprestados" umas horitas com as ditas máquinas, também para irem fazer outros serviços que nada tinham a ver com os incêndios directamente.

O Eusébio também viu durante estes dois anos, a maldade, inveja, mesquinhez, pulhice, de gente que se aproveitou e muito da desgraça dos outros. De gente que foi afectada, que foi ajudada e que agora diz que nada recebeu. Descansei o Eusébio em relacao a isso, pois mostrei-lhe as listagens dos bens doados, com nomes, quantidades e ate o dia.

Está revoltado porque ha uns tempos atrás entrou numa casa reconstruída e viu a dona dessa casa a fazer de t shirts, panos da louça. O Eusébio achou estranho, porque os voluntários distribuíram esse tipo de material, para todos, principalmente por quem ficou sem casa, e até mesmo para quem se encontrava no hospital, foram deixados a pessoas próximas que se encarregaram de depois fazer chegar...o Eusébio, ficou triste, tentou ajudar e arranjar mais utensílios, a senhora agradeceu, mas depois passado uns dias alguém lhe foi dizer que se tinha postado fotos da sua casa, por causa dos acabamentos vergonhosos, meteram medo á pessoa em questao ( aqui ainda ha medos estranhos).
Quando disse ao Eusébio que já tinha panos da louça, talheres, pratos para lhe dar, ele disse me que ela ja não queria nada.

O Eusébio sempre me avisou que o medo por ali é terrível e como fica perto de Santa Comba, ainda ha muita gente com medo dos salazares desta vida e que são muitos, alguns disfarçam muito bem.

O Eusébio também não entende várias coisas em relação ás habitações: se supostamente havia um plafond para cada habitação, porque carga de água é que por exemplo as alterações que as pessoas pediam nos projectos não foram revistas e aquelas que foram alteradas, houve pessoas e quem disseram que essas alteracoes teriam de ser do bolso deles?

Eu não percebi muito bem, mas ele deu me um exemplo: as janelas das habitações eram de correr, houve pessoas que não quiserem, e pediram para mudar para janelas de abrir ( como tinham), e a alguns fizeram isso de borla, e outros pediram 50 euros e a outros 100 euros.... o Eusébio não sabe se pegaram ou não, porque quando foi confirmar, so duas famílias afirmaram ser verdade....o Eusébio continua desconfiado, não fosse ele um cão atento e inteligente.

Depois ha situações de casas de primeira habitação que não foram reconstruídas e não vao ser.... uma das situações por exemplo, deram a hipótese de escolherem entre a casa de primeira habitação que ardeu, e que era da matriarca da família, onde viviam filho, nora e neto, que foram obrigados a abdicar deste reconstrução.
Porquê? Porque um ano antes do incêndio e através de um protocolo entre a Câmara e a família, foi negociado uma ajuda da Câmara para recuperar uma casa para esta família, uma vez que viviam na casa da tal matriarca. Esta casa não ardeu, eles tiveram de escolher qual das duas seria reconstruida ou acabada....optaram ( mais ou menos) pela casa deles, que não ardeu nos incêndios, era um protocolo de ajuda a famílias carenciadas, que nada tinha a ver com dinheiros para reconstruções de habitações dos incendios. Passado dois anos, esta família continua sem casa e a viver numa casa emprestada. Isto deixa o Eusébio revoltado e triste.

O Eusebio anda sempre a girar e muito atento, ainda hoje está à espera que o informem do que foi feito do dinheiro de uma conta solidária que foi criada, a pedido de voluntários, e que dizem as más línguas que terá alegadamente sido gasto nas obras de uma associação que foi requalificada com apoio da Câmara, mas que nao ardeu.
O Eusébio sabe que a dita associação precisava de obras sim, mas não acha que tenha sido a melhor altura para o fazer... e o tal dinheiro da conta solidária por muito pouco que fosse era para ser distribuído por quem mais perdeu, ou então para adquirir árvores para as florestas.

O Eusébio também não percebe como é que por exemplo imensas mobílias que foram doadas a guardadas em sítios, e que pelo menos dois comboios humanitários organizados por voluntários, ainda não foram distribuídos. Ou melhor ele acha que não foram, porque entretanto nunca mais teve autorização para entrar nos ditos pavilhões para dar o que quer que seja. Tentou por duas vezes e ninguém tinha chaves. O Eusébio acha que as chaves voaram com o furacão Leslie...mas o Eusébio também sabe que houve pessoas que foram escolher móveis, (isto na altura em que os hipócritas da solidariedade ainda lhe achavam piada e o deixavam entrar) que ficaram etiquetados com o nome de quem os escolheu, e que posteriormente foram dados a outra família, sem o mínimo de respeito e consideração.
Sabe que houve "mobiliário e maquinaria" doadas para as vítimas que foram parar a associações que precisavam (?).

O Eusébio ja esqueceu esses móveis, está triste, porque tinha prometido a gente pobre, a quem nao ardeu a habitacao, alguns moveis que iriam sobrar, para substituir o que tinham em casa estragado, e dar algumas coisas que nao tinham. Diz ele que as atitudes ficam com quem as tem e como sabe que muita daquela gente anda sempre a bater com a mão no peito, acha que eles ja pediram desculpa pela injustiça que fizeram. Não que tenha alguma coisa contra isso, mas acha que as acções deveriam ir de encontro com aquilo que ouvem nas tais escrituras.

O Eusébio queria saber muito mais, por exemplo, como foi e com que critérios foram distribuídos os dinheiros que foram depositados por milhares de pessoas em contas. Mas o Eusébio sabe que isso nunca se vai saber, porque são "organismos" privados e que pelos vistos não têm de prestar contas a ninguém, a não ser que haja uma denúncia ao ministério público.

O Eusébio sabe ainda que ha agricultores que fizeram projectos e que avançaram com dinheiro, porque assim foram obrigados a que ate hoje nada receberam. E cada vez que pedem esclarecimentos, pedem- lhes mais papéis. Passado dois anos, continuamos nisto.

O Eusébio, esteve atento ás regras, decretos lei que foram implementados após os incendios: limpezas de matas, bermas de estradas, o projecto aldeia segura....e nada disso até a data foi implementado ou feito, por isso o Eusebio ri-se quando os ve falar na televisão, na oportunidade que esta tragédia foi, para se aprender. O Eusébio rebola a rir.

O Eusébio sabe ainda das falcatruas que foram feitas com as indemnizações até aos cinco mil euros. Sabe que houve pessoas que se candidataram sem que nada lhes tivesse ardido, sabe que houve famílias que conseguiram candidatar-se com nomes e moradas diferentes. Sabe inclusive que houve gente a trocar de carro com essa ajuda.
Como diz o Eusebio: em terra de bom viver, faz como vires fazer.

Devo muito ao Eusébio, nunca me deixou sozinha, até naquela noite que estava a dormir sozinha numa casa e onde tentaram entrar, talvez para me amedrontar, o Eusébio avisou me e deu me sinal para pedir ajuda. Inocentes que achavam que me amedontro assim....

O Eusébio cada vez que nos vê lá fica feliz, sabe que vamos visitar aqueles com quem criamos verdadeiros laços de amizade e que nunca serão partidos e sabe que continuamos a ir porque ainda ha muito a fazer.

O que o Eusébio queria, Sr.Presidente e Sr.Primeiro Ministro, era que fossem vocês lá pessoalmente, para perceberem o que é o interior e como ele está a ficar, não vos quer lá para inaugurar nada, quer vos lá para falarem com as pessoas, para visitarem alguns sítios, para verem com os vossos olhos o cinzento que ainda existe na paisagem e na alma daquele gente.

O Eusébio gostaria muito que aceitassem a visita, mas sem "combinanços" com interlocutores, porque esses levam-vos onde dá mais jeito e não é isso que o Eusébio quer.

O Eusébio este ano ficou feliz, com o regresso a casa dos cabritos que foram roubados e levados para Espanha. O Eusébio não descansou enquanto não consegui isso, e foi tão bonito ver a alegria dos donos quando os receberam.

O Eusébio ficou feliz com as plantações de árvores que os voluntários têm por lá andado a fazer. Ah gente de raça que sem nenhuma retaguarda de instituições, organizações, empresas, tanto tem feito.

O Eusébio ja nem fala no carinho, no amor, na alegria, nos abraços que esta gente vinda de Portugal, Espanha, Inglaterra, França e Holanda por lá tem espalhado e deixado.

O Eusébio não se chateia de ver cerimônias de condecorações a serem feitas a grupos que se limitaram porque, tem dinheiro a distribuir vales de alfaias agrícolas e de alimentação, aliás foi também através do Eusébio que esses grupos la chegaram, foi o grupo do Eusébio que fez o trabalho de casa para eles. Ficou revoltado porque tinham prometido ajudar na reconstrução de barracões e até a data so ajudaram com material para um.
O Eusébio continua a espera a atento aos restantes.

O Eusébio queria ainda saber porque raio foi votado numa assembleia de junta a alteração do nome de um Largo numa aldeia, e depois voltaram com a palavra atrás?! O Eusébio não sabe se isso é legal e como é enxertado em corno de cabra gostava de ver lá a tal placa no tal Largo. Sabe que isso nunca vai acontecer, porque agora que o bandulho foi cheio, agora que comeram mais do que precisavam, o Eusébio passou de bestial a besta, mas ele gosta disso, é sinal que incomoda.

Porque o que dói, ao Eusebio e a mim, é ver o interior do meu país cada vez mais esquecido e abandonado.

O que dói é ver esta GENTE que sempre viveu da terra, porque a ama como ninguém, a ser obrigado a desistir, porque não compensa.

O que dói é ver que "até foram tomadas e criadas medidas", mas que depois "esbarram" no poder local, por questões politicas, burocráticas e de capelinhas....

O que dói é perceber que passado dois anos, as matas, as bermas das estradas, continuam por limpar, mas os eucaliptos continuam a crescer sem "rei, nem roque ". O projecto "aldeia segura" continua no papel, na maioria das aldeias....

O que dói, é ver pessoas traumatizadas e a entrarem em pânico, cada vez que vêm um vento mais forte.

O que dói, é saber que tod@s estas pessoas, que foram os verdadeiros heróis desta noite, estão praticamente entregues à sua sorte.

O que dói é saber que os outros heróis desta noite trágica -os BOMBEIROS- sofreram/sofrem ainda traumas de uma noite de terror, pois viram e viveram coisas, que por mais anos que passem, nunca vão esquecer.

O que doi é as lágrimas continuarem a cair, a tristeza é enorme, mas a força, a coragem teimam em ficar e vêm não se sabe de onde.

A batalha é dura, mas esta GENTE QUE É GENTE, é rija como o granito das suas casas e que rodeia esta paisagem lindíssima.

A esperança diz que algum dia, alguém vai olhar para aqui e para as pessoas com "olhos de ver e coração de sentir"❤

Seria interessante começar pelo Sr. Presidente e pelo Sr. Primeiro Ministro.
Estaremos a vossa espera se assim o quiserem.
#SomosMuitos
#FogosPortugal
#NãoEmMeuNomeBandalhos
#PenedoFuradouroCorujeiroTermasSangemilTeomilLageosaSalgueiral

Nota: que so alguns vão entender: senhor presidente da Câmara, o Eusébio é um cão, logo não escreve, deixo so esta nota, caso nos encontremos por ai, não vá chamar me de mentirosa e tratar me mal como ja o fez do alto da sua arrogância.

Ana Perpétuo

Sem comentários:

Publicar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________