Madeira Reforça Vigilância com Sistema de Deteção Remota de Fogos Florestais - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 16 de março de 2019

Madeira Reforça Vigilância com Sistema de Deteção Remota de Fogos Florestais


O Governo da Madeira vai instalar na região um sistema de deteção remota de incêndios florestais, orçado em 700 mil euros, para complementar as funções do Serviço de Proteção Civil e do Instituto de Florestas, anunciou este sábado o executivo. 

"O nosso sistema baseia-se na vigilância, temos torres de vigilância e patrulhamento móvel no âmbito do POCIF (Plano Operacional de Combate a Incêndio Florestais) e este é um projeto-piloto que vem complementar todo o trabalho de prevenção e deteção de incêndios que já é feito pela Proteção Civil e pelo Instituto das Florestas", disse o presidente do Governo Regional. 

Miguel Albuquerque fez estas declarações durante a apresentação do protótipo do novo sistema, uma torre equipada com câmaras de controlo remoto, instalada na zona do Paredão, nas serras do concelho do Funchal. 

"A ideia é avançar com a colocação de mais cinco câmaras para cobrir cerca de 50% da área florestal da Madeira, nas zonas mais propícias à ignição de incêndios e com capacidade para abarcar áreas vastas", explicou Miguel Albuquerque, vincando que se trata de um "sistema fiável". 

Os equipamentos permitem detetar fogos com cerca de dois metros quadrados a cinco quilómetros de distância, sendo que as câmaras têm também capacidade para fazer 'zoom' de áreas a dez quilómetros de distância. Numa demonstração efetuada no local, o equipamento de georreferenciação detetou em apenas três minutos um pequeno fogo localizado a três quilómetros, já nas serras do concelho de Câmara de Lobos, a oeste do Funchal. Miguel Albuquerque disse que o sistema deverá estar totalmente montado dentro de seis meses. 

O projeto é liderado pela Secretaria Regional dos Equipamentos e Infraestruturas, através do Laboratório Regional de Engenharia Civil, e conta com financiamento comunitário via POSEUR - Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________