Bombeiros de Braga Querem Mais Meios mas Autarquia Desvaloriza - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 28 de março de 2019

Bombeiros de Braga Querem Mais Meios mas Autarquia Desvaloriza


Firmino Marques, vice-presidente da autarquia, diz que estão já a caminho novas viaturas. Bombeiros dizem precisar de mais.

Os Bombeiros Sapadores de Braga reclamam mais meios humanos e materiais, tal como garantias de promoção nas carreiras, mas a autarquia desvaloriza as reivindicações do sindicato que os representa, negando haver falta de recursos para a proteção civil. A câmara adianta que vai abrir um concurso para as novas chefias, admitindo que os mais antigos e os mais novos não podem ganhar o mesmo.

O presidente do Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP), Sérgio Carvalho, tem feito um périplo por todo o país, sendo Braga uma das paragens desta semana. Além das questões nacionais, como a revisão do estatuto para os profissionais, Sérgio Carvalho abordou o caso concreto da Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga, explicando ao i que “faltam meios operacionais, como viaturas e uma autoescada”.

“Não basta dar formação aos bombeiros, é preciso ter duas autoescadas operacionais e de momento só há uma autoescada que funciona a cem por cento, é necessário um carro para desencarceramento de veículos pesados e de comboios, para além de viaturas de combate a fogos urbanos e outros veículos, pois Braga tem uma população flutuante muito elevada. Preocupa-nos, por exemplo, saber que poderá vir outra autoescada usada, não uma nova”, disse.

O responsável sindical reconheceu “aquilo que este executivo municipal tem vindo a fazer nos últimos seis anos, recuperando as décadas de atraso do tempo do ex-presidente da Câmara, Mesquita Machado”. Mas Sérgio Carvalho não deixou de afirmar que “a Câmara Municipal de Braga não dá o devido valor às áreas da proteção civil e dos bombeiros sapadores”. “Não é só ter neste caso a política de quando a casa arde, colocar trancas à porta, é preciso prevenir mais, porque o concelho de Braga tem crescido bastante, o que potencia as ameaças e os perigos, sem descurar a hipótese de um grande acidente ferroviário ou mesmo um caso de terrorismo”, continuou.

Segundo Sérgio Carvalho, “nesse aspeto a Companhia de Bombeiros Sapadores de Braga não está preparada para acorrer a um acidente muito grave ou a uma catástrofe, daí ter alertado em reunião a tutela camarária bracarense”: “É nossa obrigação e a responsabilidade passar para os decisores políticos locais, uma vez que tal não é ser alarmista, é ser realista”.

Sobre meios humanos, Sérgio Carvalho diz “ser imperiosa uma nova recruta de 24 novos sapadores, pois o efetivo em Braga, já com um número deficitário de 97 elementos, tem 15 elementos de idade mais avançada e que muito brevemente poderão ir para a reforma”.

“O concelho de Braga tem já capacidade para se perspetivar futuramente num Batalhão de Sapadores Bombeiros, como há poucos dias Vila Nova de Gaia anunciou publicamente. E Braga conta com mais de 220 mil habitantes, por isso é imprescindível, preencher o mais rapidamente o quadro orgânico de 115 operacionais, daí serem necessários mais 24, visto que para formar um sapador bombeiro, é preciso concurso, o que é moroso, demora pelo menos um ano, mais a formação na recruta estágio de estágio”, esclarece Sérgio Carvalho.

A nível operacional, o único sindicato representativo de todos os bombeiros profissionais, defende a instalação de uma secção avançada, para o centro histórico da cidade de Braga, nas instalações do seu antigo quartel, com um dispositivo mínimo de seis operacionais”. Segundo o sindicato, os bombeiros de Braga precisam de 11 viaturas.

Questionado pelo i, o vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, Firmino Marques, que tem a tutela da proteção civil, referiu “estar muito admirado” com a posição assumida publicamente por aquela estrutura sindical: “Temos mantido um diálogo que é permanente, tivemos duas reuniões no espaço de três meses e não concordamos de todo com a visão daquele sindicato”,

“Nunca se fez tanto em tão pouco tempo pelos Bombeiros Sapadores de Braga, como precisamente em aquisição de veículos e fardamento com mais segurança para os seus profissionais, bem como formação contínua que estamos a dar ao efetivo, bastando dizer que 70 por cento de toda a formação profissional do universo dos funcionários camarários, tem abrangido, precisamente, os nossos Bombeiros Sapadores”, disse, garantindo que está para breve a compra de veículos.

Fonte: Jornal i

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________