Equipas das VMER largam balões brancos em homenagem às vítimas do héli do INEM - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Equipas das VMER largam balões brancos em homenagem às vítimas do héli do INEM


As equipas das 44 Viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER) de Portugal vão homenagear esta terça-feira, às 19h00, as vítimas do acidente do helicóptero em Valongo, disse à Lusa a coordenadora daquele serviço no Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos. 

Segundo Adelina Pereira, com este gesto, os colegas do médico, enfermeira e pilotos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) vítimas da queda da aeronave na Serra de Santa Justa, naquele concelho do distrito do Porto, "pretendem contornar o facto de ser impossível comparecer a todos aos funerais". "Um minuto de silêncio após um breve toque de dois ou três segundos da sirene da ambulância, seguido da largada de quatro balões brancos" marcará a homenagem dos colegas dos dois pilotos, do médico e da enfermeira que faleceram no acidente aéreo, descreveu a responsável. 

No caso do Hospital Pedro Hispano, a homenagem será feita no heliporto, "onde durante anos o helicóptero que caiu esteve baseado" antes de seguir para Macedo de Cavaleiros, informou a coordenadora, explicando ainda que a escolha das 19h00 para a homenagem "tem que ver com a hora a que poderá ter ocorrido o acidente". Relatos de pessoas que dizem ter visto o helicóptero antes da sua queda, afirmaram que o acidente terá ocorrido cerca das 18h30. 

A aeronave em causa é uma Agusta A109S, operada pela empresa Babcock, e regressava à sua base, em Macedo de Cavaleiros, Bragança, após ter realizado uma missão de emergência médica de transporte de uma doente grave para o Hospital de Santo António, no Porto. Este é o acidente aéreo mais grave ocorrido este ano em Portugal, elevando para seis o número de vítimas mortais em acidentes com aeronaves desde janeiro.

Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________