Eduardo Cabrita está a Mentir aos Portugueses Sobre a Lei da Proteção Civil - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

domingo, 9 de dezembro de 2018

Eduardo Cabrita está a Mentir aos Portugueses Sobre a Lei da Proteção Civil


O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses diz que o ministro da Administração Interna está a dramatizar e a mentir aos portugueses sobre a Lei da Proteção Civil.

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses acusou este domingo o ministro da Administração interna de "estar a dramatizar" a situação quando diz que a decisão de corte de relações com a Proteção Civil põe em causa segurança dos portugueses.

Numa reação às declarações do Eduardo Cabrita, em declarações à RTP3, Jaime Marta Soares pediu a Eduardo Cabrita "que se respeite a si próprio para poder respeitar os outros, porque se não fizer não é digno do lugar que ocupa".

O presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses foi mais longe e acusou o ministro de estar a mentir.

"O senhor sabe que nós dissemos que não voltaríamos a sentar-nos à mesa se não nos enviasse respostas aos nossos documentos, já la vão mais de quinze dias. Nem sequer teve uma palavra connosco, nem uma palavra. Não é verdade senhor ministro. Sabe que esteve a mentir, não sabe senhor ministro?"

Marta Soares lembrou que antes do Serviço Nacional de Bombeiros, antes da Autoridade Nacional de Proteção Civil, eram os bombeiros que "defendiam as vidas e os haveres dos portugueses. Esta situação de conflito que existe não põe minimamente em causa a segurança das populações", adiantou.

No sábado, em Santarém, o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, disse aos jornalistas que, de imediato, os bombeiros deixam de participar na estrutura da ANPC, "não ouvindo nada do que dizem os CODIS (comandantes distritais operacionais)", bem como em todos os eventos em que estejam representantes desta entidade ou membros do Governo, podendo mesmo "não participar no dispositivo dos incêndios florestais".

Em causa estão as propostas aprovadas pelo Governo em 25 de outubro, na área da proteção civil, com a maior contestação centrada nas alterações à lei orgânica da Autoridade Nacional de Emergências e Proteção Civil, futuro nome da atual ANPC, reivindicando a LBP uma direção nacional de bombeiros "autónoma independente e com orçamento próprio", um comando autónomo de bombeiros e o cartão social do bombeiro.

Fonte: TSF

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________