Com Papas (cartas) e Bolos Se Enganam os Tolos!!!!! - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Com Papas (cartas) e Bolos Se Enganam os Tolos!!!!!


Tive conhecimento e acesso a uma carta, ontem, dirigida pelo Sr. MAI aos Srs Presidentes das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários, a qual me merecem alguns comentários, como não podia deixar de ser. Modéstia à parte, às vezes aponto “caminhos” mas como ninguém liga, vou mandando Bitaites e esta carta aguçou-me o apetite.

O primeiro comentário que me merece começa logo pelos destinatários, mas não seria de bom-tom mandar também para os Srs Comandantes, mas parece-me que é um sinal de querer dividir.

Isto é tudo “parece-me” ou como diria o outro “supostamente”.

Depois no segundo parágrafo diz que o “País registou uma redução considerável do número de incêndios rurais – menos 44% que a média dos últimos 10 anos…..”, Sr. MAI sem querer ser sarcástico eu dir-lhe-ia que este ano foi o pior ano em termos de incêndios rurais, porque foi o primeiro a comparação é feita com os incêndios Florestais, que foram todos extintos por Decreto. E não Sr. MAI não foi só pelas razões apontadas que chegamos a estes números, foi, temos que o dizer porque o “São Pedro” ajudou e há outra teoria, mas é minha e eu posso-lha dar, foi porque depois das tragédias do ano anterior (2017) as pessoas ficaram mais cautelosas e quase sempre, espero não estar enganado, a seguir a um ano severo temos sempre algum de tréguas. Não foi pelas alterações introduzidas, nem pelo aumento em forças que não o deviam ter sido.

Se diz que foi pelo “reforço da capacidade técnica e operacional do sistema” lá terá as suas razões, o “sistema” é da lavra do Governo que escolhe e sempre escolheu quem faz o tal “sistema”, mas concordo que também se ficou a dever ao empenho de todos os agentes, e dispensava este “lustrozinho” quando refere “nomeadamente os bombeiro portugueses”, nós sabemos o que valemos, falta é que quem pode e deve o reconheça efectivamente.

Fico contente, já fiquei na altura, com a criação de 120 novas EIP’s, mas podiam e deviam ter sido mais, se por acaso não se postasse noutra vertente para o mesmo que as EIP’s podem e devem fazer, faço-me entender?

Os números que destaca, assim à “papo-seco” são impressionantes, “5,5 milhões de euros em novas EIP’s, seria interessante era saber o número gasto com o reforço, que eu acho uma duplicação, com as outras forças para fazerem o mesmo ou menos que as EIP’s, digo eu que seria interessante.

Quanto ao que foi aprovado, como diz para discussão pública, no CM do dia 25 de Outubro tenho as minhas dúvidas que isso leve “mais além a capacidade operacional” já concordo que se queira “Crescentemente qualificada e profissionalizada” porque integrada já é. Sabe nós já trabalhamos com tanta “gente” é já nos articulamos com tantas instituições e tão bem que a melhorar dificilmente será coisa para outros, não quer dizer que nós não possamos melhorar, porque é isso que fazemos sempre.

“O modelo organizacional territorial proposto dá coerência à organização administrativa do Estado…..”, acredito que sim, mas não dá coerência à organização da Protecção Civil, isso lhe garanto e as razões são várias, se achar oportuno podemos voltar a este tema, o qual eu já escalpelizei noutra altura.

Falou também na “….valorização profissional dos bombeiros.” E depois fala nos corpos de bombeiros municipais e na FEB. Acho muito bem são assuntos pertinentes e que devem ser resolvidos, mas Sr. MAI os destinatários desta carta de que falo diz “Presidente da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários”, é outra coisa, e estes também têm profissionais, para os quais é preciso olhar, o que diz é, como disse, outra coisa.

Incentivos ao voluntariado, repor a “….bonificação do tempo de serviço para efeitos de aposentação aos subscritores da CGA….” Eu acrescentaria, (e dos regimes de segurança social), porque é assim e que eu tenha dado conta não foi extinto, foi há uns anos diminuído de 25% para 15%. Bom, bom era não ter que ser pago, isso é que era.

Realmente há muitos Municípios que dão incentivos, conheço alguns, mas não deveria ser assim, porque isso cria e acentua as desigualdades, isso devia ser uma medida Nacional.

Para acabar e reportando-me ao parágrafo em que afirma “….recebemos há alguns dias as propostas e comentários da Liga dos Bombeiros Portugueses relativamente a este conjunto de diplomas.” Queria dizer que se assim foi a Liga já devia ter disso e delas dado conta publicamente, porque assim andamos todos a discutir “alhos” quando porventura devia-mos discutir “bugalhos”.

Mas esta é como digo só a minha opinião, vista de longe e ao longe.

Martins Andrade

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________