Incendiário Libertado por Excesso de Prisão - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Incendiário Libertado por Excesso de Prisão


Carlos Fernandes, o homem que foi condenado, no passado dia 28 de fevereiro, a nove anos de prisão por ter ateado o incêndio que deflagrou no dia 3 de setembro de 2016, na serra de Monchique e que destruiu milhares de hectares de floresta e mato, foi libertado na semana passada por excesso de prisão preventiva. 

Segundo o CM conseguiu apurar, o incendiário, que se encontrava preso no Estabelecimento Prisional de Pinheiro da Cruz, foi libertado na quarta-feira passada, dia 5 de setembro. "Uma vez que a decisão ainda não transitou em julgado e a lei prevê um máximo de prisão preventiva de dois anos, teve de ser libertado", explicou ao CM fonte judicial. A defesa de Carlos Fernandes recorreu da sentença para o Tribunal da Relação de Évora, por considerar a pena excessiva, aguardando-se ainda a decisão dos magistrados. 

Carlos Fernandes, de 50 anos, barman na zona de Loulé, estava acusado de ter ateado seis fogos florestais. Segundo o coletivo que o condenou, tratou-se de "uma única resolução criminosa", razão pela qual foi condenado por um único crime de incêndio florestal agravado. Os juízes destacaram ser "elevadíssima" a necessidade de prevenção e defenderam a necessidade de "restituir a confiança à sociedade". 

Frisaram ainda que o homem agiu com conhecimento de causa, tendo admitido ter ateado os fogos aquando do primeiro interrogatório judicial, que foi reproduzido durante o julgamento.

Fonte: Correio da Manhã

Sem comentários:

Enviar um comentário