123º aniversário dos bombeiros das Caldas com ingresso de novos operacionais e ambulâncias - VIDA DE BOMBEIRO

_______________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

123º aniversário dos bombeiros das Caldas com ingresso de novos operacionais e ambulâncias


A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Caldas da Rainha (AHBVCR) festejou o seu 123º aniversário no passado domingo, com juramento de bandeira de sete estagiários que ingressaram na carreira de bombeiros, entrega de diplomas, medalhas e galardões, e passagem de um operacional ao quadro de honra. 

A cerimónia, com a presença do presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP), dos presidentes da Câmara e Assembleia Municipal, para além de representantes de várias entidades, incluiu o batismo de três novas ambulâncias e nos discursos ficou bem vincado o prestígio desta corporação. Foi lançado o desafio à Câmara para que em 2020, a propósito dos 125 anos, seja inaugurado um monumento de homenagem aos soldados da paz caldenses.

Os bombeiros caldenses têm três novas ambulâncias – duas de transporte e uma de socorro – benzidas e apadrinhadas no passado domingo antes da sessão solene do 123º aniversário da associação humanitária. 

A aquisição das viaturas, no montante de cerca de cem mil euros, teve o apoio camarário com 25% da verba, sendo a restante resultado do aproveitamento das receitas da exploração do parque de estacionamento no centro da cidade. Por isso, os patronos das ambulâncias, que ficaram com o seu nome nelas inscrito, foram os proprietários dos dois espaços de estacionamento – Alberto Linto (espaço exterior) e João Prezado (espaço interior) – e ainda Pedro Redondo, amigo dos bombeiros que ofereceu todo o equipamento de socorro para uma ambulância. Os três receberam o galardão “Prestígio da Associação”, que distingue quem contribui de forma relevante para o trabalho da corporação.

Sete estagiários prestaram juramento de bandeira e ingressaram na carreira de bombeiro. Marcelo Faustino, Carolina Santos, Carolina Daniel, Rodrigo Vital, Telma Alves, Diogo Daniel e Vítor Alves passaram a integrar o corpo combatente. O grupo foi submetido durante mais de um ano a um árduo percurso de aprendizagem. Os instrutores e tutores – chefe Rui Faria, sub-chefe Paulo Ferreira e bombeiros de 1ª Vasco Silva, Pedro Marques, João Fragoso, Marco Domingos, Nuno Maria, Bruna Simões e Telmo Pacheco – receberam um agradecimento público. O chefe Vítor Tavares, que coordenou a escola de estagiários, recebeu uma menção honrosa.

Foram entregues medalhas de assiduidade da LBP: Grau Cobre – 5 anos – bombeiros de 3ª David Raposo, Daniela Jacinto e Beatriz Roque; Grau Prata – 10 anos – bombeiro de 3ª Diogo Maltez; Grau Ouro – 20 anos – bombeiro de 1ª João Fragoso.

O momento alto foi a passagem ao quadro de honra do bombeiro de 3ª António Serrenho, promovido a bombeiro de 2ª. No louvor lido pelo comandante, Nelson Cruz, foi destacada “uma carreira com mais de 26 anos de bombeiro, sacrificando muitas vezes a sua vida pessoal”. “Pautou a sua carreira pela disciplina, assiduidade e pontualidade”, para além de “uma humildade e um espírito inigualável de servir a causa dos bombeiros de forma abnegada e exemplar”.

Repto para monumento ao bombeiro

O comandante destacou que “mais sete novos bombeiros serão o garante da continuidade de uma resposta cabal” da corporação”.

Nelson Cruz manifestou agradecimento ao presidente da LBP, Jaime Marta Soares, na defesa dos bombeiros, considerando que a sua missão “é muito difícil”, pois “tem de lutar contra quem não reconhece que os bombeiros são o maior agente de proteção civil em Portugal”.

Elogiou igualmente o presidente da Câmara das Caldas, Tinta Ferreira, que “tem investido e apoiado os bombeiros”, lembrando que assumiu uma equipa de intervenção permanente e uma equipa de reforço operacional, “duas equipas para sair ao minuto durante todo o ano, uma medida que beneficia a população quando precisa urgentemente dos bombeiros”.

Disse ainda que a entreajuda do presidente da AHBVCR, Abílio Camacho, e a qualidade do corpo de bombeiros foram “bases imprescindíveis”.

Finalizou lançando um repto à Câmara para que dentro de dois anos, quando se comemorar o 125º aniversário, seja erguido um monumento para homenagear os bombeiros das Caldas.

Abílio Camacho, presidente da direção da AHBVCR, elogiou o comandante e vincou o trabalho que tem sido realizado pelos bombeiros, quer na prestação de socorro, quer na melhoria das condições de funcionamento da instituição. “Tirando os funcionários e os que fazem serviços gratificados, estamos aqui graciosamente, mas a dedicação é muito grande e todos temos trabalhado para que esta casa tenha as condições que tem”, referiu.

Henrique Sales, presidente da assembleia geral da AHBVCR, sublinhou que “um dos grandes desafios que se colocam a Portugal é conseguir fazer crescer uma cidadania responsável e uma atitude preventiva face às questões de segurança. A negligência de alguns, como é representada pelo número de fogos rurais que são causados pela realização de queimadas, não pode ser tolerada. Novos e melhores comportamentos das pessoas são essenciais. Todos temos de ser mais responsáveis e vigilantes”.

Vítor Marques, presidente da União de Freguesias de Nossa Senhora do Pópulo, Coto e São Gregório, agradeceu aos bombeiros pela “capacidade de responder com prontidão” às solicitações, enquanto o presidente da Assembleia Municipal das Caldas da Rainha, Lalanda Ribeiro, indicou que “a população sente-se segura com os bombeiros que tem”.

José António, comandante da corporação de Peniche e representante da Federação dos Bombeiros do Distrito de Leiria, disse que já viu os bombeiros caldenses “desde o Algarve a Caminha a combaterem incêndios e a demonstrarem o que sabem fazer”. 

Apontando a existência de “uma moldura de quadro ativo impressionante e com meios que estão prontos a sair”, desejou que a corporação “continue no bom rumo que está a ter”.

Carlos Guerra, comandante operacional distrital, frisou que os soldados da paz caldenses “são bons na prestação diária de socorro e uma referência no distrito” e desejou ainda que 2019 seja um ano em que cada cidadão assuma que também é um elemento da proteção civil.

“Uma referência nacional”

Jaime Marta Soares, presidente da LBP, realçou que os bombeiros das Caldas “são um grande orgulho do município, do distrito e de Portugal”.

“Rigor, disciplina e organização”, foram valores que destacou na corporação, que “é uma referência nacional”. Elogiou também a solidariedade prestada pela população aos bombeiros.

Lembrou que “a história dos bombeiros portugueses tem passado por esta casa”, numa alusão aos congressos e reuniões da LBP na cidade, que tem sido “talismã” para as suas vitórias à frente da entidade que dirige. “Obrigado a esta terra e este corpo de bombeiros”, concluiu.

“Estou satisfeito com os resultados obtidos”, declarou Tinta Ferreira, presidente da Câmara Municipal, realçando “a prontidão e a capacidade de intervenção”, que fazem com que os incêndios verificados “não atinjam outras proporções”.

Justificando o apoio financeiro da Câmara, fez notar que os bombeiros não têm só a atividade de serviço de urgência e de socorro, pois desenvolvem “uma decisiva intervenção social para comunidade”, como são prova disso a piscina e a ginástica. Sobre o monumento ao bombeiro, garantiu que “vamos olhar para esta ideia”.

Fonte: Jornal das Caldas

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________