Novos Condutores Vão Ter de Saber Usar Um Desfibrilhador - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Novos Condutores Vão Ter de Saber Usar Um Desfibrilhador


Formação deve ainda ser obrigatória para alunos do secundário e dos cursos de Ciências da Saúde e do desporto bem como para vários grupos profissionais.

Os novos condutores vão ter de saber usar um desfibrilhador automático externo (DAE), segundo a recomendação de um grupo de trabalho criado pelo Ministério da Saúde, que sugere ainda que a existência destes aparelhos seja alargada a mais locais públicos.

De acordo com o “Jornal de Notícias”, o relatório recomenda que seja ainda obrigatória a formação para as forças de segurança, a todos os novos agentes da PSP, GNR e Polícia Marítima. Nadadores-salvadores e tripulação de aviões também estão incluídos.

Mas a formação obrigatória também deve abranger os alunos do secundário e dos cursos de Ciências da Saúde e de Desporto.
O documento, que está em discussão pública até dia 27, contém várias recomendações no sentido de ter cada vez pessoas capazes de socorrer vítimas em paragem cardio-respiratória, aumentado a sua probabilidade de sobrevivência.

No documento é destacado que a desfibrilhação deve continuar a ser enquadrada em programas organizados e manuseada por operacionais treinados e licenciados de acordo com a lei. "Contudo, no momento atual estão reunidas as condições de segurança para que, em situações particulares, o manuseio do DAE possa ser feita por cidadãos não treinados, sempre que possível por indicação telefónica dada pelo médico do CODU [centro de orientação de doentes urgentes], ou estruturas equivalentes nas Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, em tempo útil e em benefício da vítima", é referido.

O relatório recomenda também um reforço de dispositivos em locais onde passam em média mil pessoas por dia como centros comerciais, unidades hoteleiras, monumentos, áreas de diversão, embarcações turísticas e de transporte público, aeronaves da aviação comercial, comboios de longo curso, estabelecimentos de ensino, ginásios e complexos desportivos e unidades de saúde.
É ainda recomendado um Plano Nacional de Combate à Morte Súbita Cardíaca e o desenvolvimento de uma Campanha Nacional de Sensibilização.

Este grupo de trabalho foi criado para estudar a requalificação do Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa, que foi estabelecido em 2009.

Renascença

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________