Já Estão 10 Meios Aéreos a Combater o Incêndio em Monchique - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sábado, 4 de agosto de 2018

Já Estão 10 Meios Aéreos a Combater o Incêndio em Monchique


Desde o início da manhã deste sábado que se mantêm no terreno mais de 700 operacionais e 10 meios aéreos, prevendo-se um agravamento do estado do tempo o que poderá levar a deslocar mais meios para a zona rural de Monchique onde o incêndio se iniciou ao início da tarde de sexta-feira (3 de agosto).

De acordo com o presidente da Câmara de Monchique há duas frentes ativas e o objetivo das autoridades é tentar controlá-las "antes do pico do calor". No terreno, além dos meios dos bombeiros estão também seis pelotões do exército a fazer o rescaldo nas áreas onde o incêndio já foi extinto.

Perante a dimensão do fogo Rui André activou durante a noite o Plano Municipal de Emergência, tendo sido deslocados 15 habitantes da Foz do Carvalhoso por precaução. No combate ao fogo dez bombeiros tiveram de receber assistência.

Durante a manhã de sexta-feira, cinco pessoas já tinham sido deslocadas do sítio das Taipas, logo no início do incêndio, mas o fogo acabou por seguir na direção exatamente oposta, de acordo com a Proteção Civil.

Entretanto, segundo disse aos jornalistas o presidente da Câmara de Monchique, foi ativado o Plano Municipal de Emergência e está também a ser prestado apoio social pessoas que foram retiradas das suas casas por precaução.

Algumas dessas pessoas foram encaminhadas para a Santa Casa da Misericórdia, duas das quais eram idosos acamados, outras duas estão numa escola, sendo que as restantes optaram por ficar em casa de familiares.

Por agora, não há registos de habitações ardidas, havendo apenas algumas infraestruturas de apoio agrícola, vulgarmente chamadas de barracões, que foram afetadas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alertou hoje para risco de incêndio muito elevado a máximo no distrito de Faro e em mais de 30 concelhos de Portugal Continental.

Fonte: DN

Sem comentários:

Enviar um comentário