Crianças Presas em Gruta Podem Ter Que Esperar Quatro Meses para Sair - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

terça-feira, 3 de julho de 2018

Crianças Presas em Gruta Podem Ter Que Esperar Quatro Meses para Sair


As 12 crianças e o treinador de futebol encontrados vivos após nove dias presos numa gruta no norte da Tailândia vão receber quatro meses de mantimentos e aulas mergulho, informou esta terça-feira o exército.

"Vamos enviar comida extra para pelo menos quatro meses e treinar os 13 [membros do grupo] para mergulhar, enquanto continuam a evacuar a água" da complexa rede subterrânea, disse o capitão Anand Surawan, da marinha tailandesa, citado pelas forças armadas. A equipa de socorristas está a estudar várias formas de retirar as 12 crianças e o seu treinador de futebol de dentro da gruta onde ficaram presos durante nove dias e que foram encontrados na segunda-feira com vida.

No entanto, as autoridades alertam que pode levar meses até que o grupo possa sair da gruta. Nenhum deles sabe nadar e para sair neste momento seria preciso que estes mergulhassem. Uma tarefa que nestas condições já seria difícil e a que se acrescenta o facto de as crianças estarem demasiado fracas para enfrentar esse esforço. Para já, as prioridades são garantir que o grupo está bem de saúde e que fica restabelecido. Passaram nove dias sem comida e ainda não se sabe se beberam água contaminada das cheias ou se tiveram acesso a água potável.

A gruta onde estão presos é um dos maiores complexos da Tailândia. Tem 10 quilómetros de comprimento - o grupo foi encontrado a quatro quilómetros da entrada da gruta - e o caminho que as crianças precisam de fazer para chegar à superfície tem passagens estreitas e envolve mergulhar em alguns momentos. Segundo a AFP, é um percurso de seis horas para um elemento das forças especiais da Marinha, treinado e com preparação física.

"Mergulhar em grutas é uma tarefa muito específica e muito perigosa, especialmente para mergulhadores sem treino. Por isso, o melhor pode ser enviar-lhes mantimentos e mantê-los seguros até que se surja outra forma de os tirar de lá", defendeu Anmar Mirza, coordenador da comissão norte-americana para resgates em grutas.

Outra alternativa, segundo Bill Whitehouse, vice-presidente do conselho britânico de resgate em grutas, a alternativa mais simples passaria por equipar as crianças com "equipamento de mergulho, com uma máscara da cara completa e torná-lo neutros em termos de peso para que possam ser trazidos para a superfície", explicou à BBC Radio 4.

Depois de terem descoberto o grupo, as autoridades apostam tudo em trazê-los em segurança para a superfície. Na pior das hipóteses isso só acontecerá daqui a quatro meses, depois do final da época das monções, quando a água tiver já recuado. Estão a ser instalados cabos telefónicos para que as crianças possam falar com os pais. Segundo os relatos dos mergulhadores, as crianças perguntaram se podiam sair da gruta e quanto tempo demoraria até poderem fazê-lo. Perante a resposta de que não seria para já, um deles disse aos mergulhadores: "Então até amanhã."

Os rapazes, de 11 a 16 anos, e o seu técnico, de 25 anos, entraram na caverna Tham Luang Nang Non depois de um jogo de futebol no dia 23 de junho, mas chuvas quase constantes desde então impediram as operações de resgate.

As autoridades já tinham expressado, durante as operações de resgate, a esperança de que o grupo tivesse encontrado um local seco dentro da caverna e que continuassem vivos.

Várias centenas de socorristas, incluindo soldados norte-americanos e mergulhadores britânicos, participaram nas operações de busca e resgate dos jovens de uma das maiores grutas da Tailândia, na província de Chiang Rai.

Fonte: DN

Sem comentários:

Enviar um comentário