Criada brigada de sapadores florestais do Tâmega e Sousa - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Criada brigada de sapadores florestais do Tâmega e Sousa


A brigada de sapadores florestais criada para o Tâmega e Sousa envolverá três equipas, num total de 15 elementos, e terá sede em Baião, concelho com a maior mancha florestal do distrito do Porto.

De acordo com informação hoje disponibilizada por aquele município, a brigada vai instalar-se na antiga escola primária de Gôve e terá como área de competência os 11 municípios do território.

A criação deste meio da rede primária da defesa da floresta contra incêndios decorre de uma candidatura apresentada pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, junto do Fundo Florestal Permanente.

Este novo meio "terá por função intervir prioritariamente no âmbito da instalação e manutenção da rede primária de defesa da floresta contra incêndios, nas ações de consolidação e pós-fogo, bem como nas ações de estabilização de emergência", assinala a autarquia de Baião.

A brigada será liderada por um técnico superior na área das ciências florestais e credenciado em fogo controlado, acompanhado por 14 sapadores florestais.

Os técnicos terão formação especializada ministrada pelo Instituto de Conservação da Natureza e Floresta (ICNF).

Citado num comunicado enviado à Lusa, o presidente da Câmara de Baião, Paulo Pereira, indicou que o antigo edifício escolar de Gôve já está a ser preparado para receber em boas condições os meios humanos e materiais da brigada.

O autarca congratulou-se por o município de Baião ter sido escolhido para sede do novo meio da proteção civil.

"A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa encontrou em Baião todas as condições para que esta equipa possa vir a desenvolver um trabalho muito eficaz e, naturalmente, que a autarquia aprovou e dará todo o apoio possível", acentuou.

Nos últimos meses, recordou ainda Paulo Pereira, os serviços de proteção civil municipal têm realizado um "planeamento estratégico muito rigoroso", incluindo a limpeza de 21 quilómetros junto às vias florestais na serra da Aboboreira.

Nessa zona sensível já foi realizado fogo controlado, numa área de 75 hectares, para além de ações de sensibilização junto da população.

Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________