Coimbra - Federação “Forte e Unida” no Distrito - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Coimbra - Federação “Forte e Unida” no Distrito


Fernando Carvalho defendeu ontem uma Federação dos Bombeiros do Distrito de Coimbra «forte e unida» convicto de que «só unidos» os bombeiros poderão continuar «a responder às solicitações de uma forma eficaz e profissional», especialmente perante «um futuro» para os bombeiros portugueses que é feito «de incerteza», afirmou.

«Como diz o adágio popular, a união faz a força», afirmou o ex-presidente da Câmara Municipal da Lousã e há mais de 20 anos dirigente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Serpins que ontem tomou posse, em Soure, como presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Coimbra, cargo para o qual foi eleito a 26 de Janeiro.

No discurso de posse, ao qual assistiram vários autarcas do distrito, para além de representantes da Autoridade Marítima, da GNR e da Protecção Civil, Fernando Carvalho falou na urgência em aprovar o Orçamento e Plano de Actividades para este ano e proceder à alteração dos estatutos da federação, mas fez também questão de falar noutros problemas que enfrentam quase todas as associações humanitárias federadas, como é o caso dos atrasos dos pagamentos dos serviços prestados pelos bombeiros.

São «excessivamente longos, para não dizer longuíssimos» trazendo «problemas complicadíssimos em termos de tesouraria», afirmou Fernando Carvalho, criticando também a formação feita na Escola Nacional de Bombeiros, que «é muito limitada», obrigando algumas associações a «pagar formação a entidades privadas». Em relação a esta temática, o novo presidente sugeriu, aliás, a criação de «escolas de instrução inicial de bombeiros, cursos de promoção de carreira» por vários corpos de bombeiros. E, voltando à união, aflorou ainda a possibilidade de, numa tentativa de redução de custos, as associadas que assim o entenderem poderem «conjuntamente negociar algumas necessidades em fornecimentos e serviços, nomeadamente em electricidade e seguros».

Fernando Carvalho, que sucede a António Simões, comandante dos Bombeiros Voluntários de Penacova, que estava há vários anos no cargo, promete liderar uma direcção que quer fazer da Federação dos Bombeiros do Distrito de Coimbra uma «porta-voz junto das várias instituições e Liga [dos Bombeiros Portugueses] para a resolução de problemas», compromentendo-se a «colaborar e manter um diálogo aberto, construtivo e profissional» com todas as entidades com as quais lidam os bombeiros.

Além de Fernando Carvalho, tomaram posse, na direcção da federação, Hélder Carvalho e Fernando Gonçalves (ambos vice-presidentes), Eurico Fernandes (tesoureiro), Joaquim Carraco (secretário), Nuno Pimenta e Acácio Monteiro (vogais). A presidir à AssembleiaGeral está João Ramos, tendo como secretários Ricardo Fernandes e Nuno Luís Osório. Já no Conselho Fiscal, tomaram posse Arménio Silva (presidente), Manuel Claro (secretá- rio) e Paulo Palrilha (relator).

Fonte: Penacova Actual

Sem comentários:

Enviar um comentário

________________________________________________________________

_______________________________________________________________

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________