"Sei Que Vou Morrer Aqui, mas Valeu a Pena" - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

"Sei Que Vou Morrer Aqui, mas Valeu a Pena"


Quando entrei para os bombeiros eu conheci a minha grande paixão: SALVAR!!
Conheci muitos homens e mulheres que, quando vestem a farda têm um brilho a mais no olhar e andam como se estivessem protegidos por uma armadura, um escudo invulnerável! E eu também me senti assim quando vesti a minha farda pela primeira vez, parecia que eu podia fazer muito mais do que eu mesmo era capaz.

Hoje tenho a certeza, somos capazes de ir muito além do nosso limite, até sem perceber, quando levamos uma vida em nossas mãos! E só quem já passou por essa situação sabe o quão sublime é o sentimento! Quando estamos todos reunidos, e onde nunca podem faltar as "histórias de bombeiros", há sempre aquele que conta um facto e o termina dizendo: "e até hoje, não sei como fiz aquilo!"

Quando andamos na rua fardados há sempre olhares amáveis e orgulhosos que nos seguem, e o sorriso encantador de uma criança que diz que quando crescer também quer ser bombeiro!
Que bombeiro nunca tocou a sirene ao passar por uma escola e não amou os acenos e os sorrisos... Não só porque alguém nos respeita, mas porque os olhos emanam orgulho, reconhecimento e nós sentimos no coração o quanto é gratificante salvar!

Que bombeiro nunca ficou com as lágrimas nos olhos sem saber o que dizer quando tem que dar a noticia: "sinto muito, mas não há mais nada que possamos fazer".

Porém na nossa mente repassam as informações e procedimentos para ter a certeza de que, realmente, não havia mais nada a ser feito!

Que bombeiro nunca fez uma oração para aqueles olhos suplicantes, pelas vidas que passaram por suas mãos. Olhos que nos vêm como uma barca para a sua salvação e mesmo que nos chamem de anjo, sentimo-nos tão pequenos e impotentes diante da vontade de Deus!

Que bombeiro ao deitar-se para dormir não sentiu o pesar da limitação para com a vida que foi levada diante dos seus olhos. Pergunto-me, "de que adianta me chamarem de anjo, se não posso salvar com as asas que nem tenho?" Mas mesmo assim, adormeço com a sensação de missão cumprida...

Eu sei que cada bombeiro que ler este texto terá um "filme" a passar na sua mente, de olhos suplicantes e sorrisos serenos. E todo aquele que sentir a chama do amor pelo seu trabalho se apagar, receba este texto como uma "lenha para sua fogueira", que ame, festeje, dance com o seu dom de salvar, todos os dias mais e mais. Não pelos olhares amáveis que te seguem pelas ruas, pois não te enganes, eles não te seguem, mas sim ao bombeiro forte e implacável que só surge atrás da farda. 

Ama sim, e muito, aquela sensação que tens ao saber que mais uma vida foi salva pelas tuas mãos. Não mastigues, saboreia este sentimento, sente-o com a pontinha da língua como se fosse um gelado de chocolate! Como fazemos nas primeiras emergências, como fazemos ao ouvir uma sirene nas ruas, como fazemos ao tirar a farda no final de mais um dia de serviço e sentir aquele cheiro de fumo, aos outros pulmões pode parecer que a tua farda precisa de ser lavada, mas para nós isso nada mais é do que cheiro de missão cumprida!!!

Sei que já falei vezes demais sobre isto, mas não me cansarei de o fazer, pois são muitos os que nos criticam, mas para esses eu só tenho uma coisa a dizer, oxalá nunca precisem de nós. Mas mesmo assim quero deixar-vos mais algumas palavras, e cabe a cada um de vocês interpretá-las como quiserem...

Na verdade, qual de nós, já não viu uma viatura dos bombeiros com a sirene a "gritar" e comentou: "estes tipos são uns irresponsáveis, vê bem a velocidade que eles vão..."
Pois bem, mas quantas pessoas comentaram isto e não pensaram no reverso da medalha?
Será que pensaram, que chegar um minuto depois a uma vitima de paragem cardíaca poderá significar a sua morte?
Será que pensaram que chegar um minuto depois a um acidente poderá significar a explosão do carro, com os ocupantes no seu interior?
Será que pensaram que chegar um minuto depois a uma casa em chamas poderá significar o rebentamento de uma ou várias garrafas de gás?
Será que pensaram que chegar um minuto depois a um incêndio florestal poderá significar várias habitações a arder?

Será que pensaram que esse mesmo socorro, pode ser para um familiar seu??

De certeza que não... porque no dia que precisarem dos bombeiros, provavelmente vão querer que eles cheguem o mais depressa possível...
Mas mesmo com todo o esforço e risco que impomos a nós próprios a caminho das ocorrências, quando chegamos, essas pessoas que muitas vezes nos chamaram "irresponsáveis", estão a criticar-nos porque o socorro demorou muito tempo, porque "só andam de sinalização ligada quando querem ir para o quartel", entre outras coisas muito pouco agradáveis...
E agora só me apetece perguntar:

Será que as pessoas merecem que aconteçam acidentes com as viaturas de Bombeiros quando vão a alta velocidade para um sinistro (e que muitas vezes causa a morte dos próprios bombeiros), para salvar os seus bens e/ou familiares??

Realmente dá que pensar...

Dito isto, para não me alongar mais só vos posso dizer:

Sei que um dia irei morrer aqui, a defender uma causa, a defender pessoas e bens, a salvar vidas humanas, mas também sei que quando essa hora chegar, sei que morrerei feliz, porque sei que valeu a pena... 

Sem comentários:

Enviar um comentário