Bombeiros de Valongo Resgatam Cães Presos em Mina de Paredes Durante Cinco Dias - VIDA DE BOMBEIRO

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Bombeiros de Valongo Resgatam Cães Presos em Mina de Paredes Durante Cinco Dias


Dois cães ficaram presos na galeria de uma mina, situada na Sobreira, Paredes, durante cinco dias, até terem sido resgatados pela Equipa Cinotécnica dos Bombeiros de Valongo.

Luís Tavares e Pedro Baptista, ambos voluntários nesta unidade especializada no salvamento de pessoas e animais, envolveram-se numa operação que se alongou por cinco horas e que obrigou à retirada de terra num local muito instável e onde havia o perigo de ocorrer nova derrocada. No final, bombeiros e cães saíram da mina sãos e salvos.

Foi já na quinta-feira da semana passada que dois cães de caça perseguiram um coelho até à mina, existente nos montes do lugar de Quinta, na Sobreira. Ao tentarem apanhar o animal, no interior de uma galeria com cerca de 600 metros de comprimento, acabaram por ficar presos, depois de uma pequena derrocada ter tapado a saída do túnel.

Durante cinco dias, o dono dos canídeos andou à procura dos companheiros e só os latidos dos animais permitiram localizá-los. Nessa altura, foram chamados os Bombeiros de Cête, mas, perante o cenário encontrado, resolveram acionar a Equipa Cinotécnica dos Bombeiros de Valongo, especializada neste tipo de situações.

Quando chegaram ao local, os operacionais Luís Tavares, 21 anos e desempregado, e Pedro Baptista, operador de processo químico de 39 anos, verificaram a qualidade do ar e a estabilidade da mina antes de percorrem os cerca de 600 metros da galeria e retirarem, "com cuidado", a terra que impedia a saída dos cães. Ao fim de cinco horas de trabalho, que os obrigou a rastejar por pequenos orifícios, os dois voluntários conseguiram resgatar os animais e devolvê-los ao dono.

A Equipa Cinotécnica dos Bombeiros de Valongo foi criada há dois anos e já salvou mais de 15 animais. Porém, confessam Luís Tavares e Pedro Baptista, nunca um resgate foi tão difícil como este.

Fonte: JN

Sem comentários:

Enviar um comentário