Incêndios: Zero diz que 2018 é Decisivo para Começar a Evitar Tragédias - VIDA DE BOMBEIRO

--------------------------------------------------------------------------------------------------

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

________________________________________________________________

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Incêndios: Zero diz que 2018 é Decisivo para Começar a Evitar Tragédias


A associação ambientalista Zero considera 2018 decisivo para conseguir evitar o pior que este ano, em termos ambientais, afetou o país, os incêndios, que, além de fazerem mais de cem mortos, destruíram floresta e solos.

Em comunicado, a Zero defende que são precisos "passos concretos" tomados já para proteger solos e dar resiliência à floresta, apesar de ser um trabalho para vários anos, que implica "envolver e capacitar as populações" para incentivar a floresta autóctone e prevenir os incêndios.

No balanço de 2017, a associação refere que na semana antes do pior dia de incêndios do ano, a 15 de outubro, se bateram recordes de poluição: "10 de outubro foi o dia com o ar mais poluído", observa, apontando o dia seguinte aos incêndios, 16 de outubro, como o segundo com pior ar.

O dia 15 de outubro foi também a data com maior área ardida, chegando a 190.090 hectares, quase metade do total registado até aí este ano.

"O número de ignições [no ano de 2017] é que parece não abrandar, já que se registaram 16.613 ocorrências e 22% originaram incêndios com área superior a um hectare", refere a Zero.

Com esta quantidade de ocorrências, "a solução está na erradicação de comportamentos de risco (negligentes e criminosos), recorrendo a uma vigilância omnipresente junto às áreas críticas", defende a associação.

O pico da seca, outro dos grandes problemas que não vai acabar este ano, foi atingido a 31 de outubro, com "100% do território de Portugal continental em condição de seca", 75,2% extrema e 24,8% severa.

"O envolvimento de todos é também necessário no caso da água", defende a Zero, que quer ver aplicado com eficácia o plano para uso eficiente da água, convencendo todos da sua importância e combatendo o desperdício.

Por contraponto ao mais negativo, a Zero indica 29 de julho como o dia de melhor qualidade de ar e 14 de março como o dia de maior produção renovável de eletricidade", gerando-se 128.6 gigawatts horários.

"Apesar de não se ter conseguido os recordes atingidos em 2016, a produção de eletricidade renovável teve um peso significativo, mas não está a aumentar o suficiente", salienta a associação.

No ano que vem deverá surgir também "uma visão sobre como poderá Portugal atingir a neutralidade carbónica em 2050", um "desafio enorme" rumo ao fim da dependência dos combustíveis fósseis e utilização de energias renováveis.

"Repensar, reduzir, reutilizar e reciclar deverão tornar-se hábitos regulares", defende a Zero nos seus votos para o próximo ano.

Fonte: Noticias ao Minuto

Sem comentários:

Enviar um comentário