Suspeito de Incêndios na Madeira Condenado a Três Anos de Prisão Efetiva VIDA DE BOMBEIRO: "A Caixa Negra dos Carros tem Informação Vital para Compreender um Acidente"

domingo, 20 de novembro de 2016

"A Caixa Negra dos Carros tem Informação Vital para Compreender um Acidente"


Associação dos Cidadãos Auto-Mobilizados pede que seja aplicado na Europa um método "inovador" para melhorar a investigação aos acidentes rodoviários.

No Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada, a Associação de Cidadãos Auto-Mobilizados (ACA-M) diz que ainda há muito a fazer para evitar mortes e acidentes nas estradas portuguesas, mas também no campo da investigação dos acidentes rodoviários.

O presidente da ACA-M, Manuel João Ramos destaca que é preciso evoluir na resposta pós-acidente, em especial no apoio ao trauma psicológico, "não só às vitimas mas também aos familiares", algo que considera estar "pouco valorizado em Portugal".

Outro aspeto que o presidente da ACA-M considera "absolutamente fundamental" é que o crime rodoviário seja tratado com investigação científica. E dá um exemplo, que já é aplicado na América, mas que "na Europa ainda não existe".

"Todas as viaturas hoje em dia têm um chip, uma espécie de caixa negra. É um pequeno chip que contém informação absolutamente vital para compreender um desastre rodoviário", explica.

Manuel João Ramos adianta que este chip, "como regista o último minuto antes de um desastre, pode constituir um elemento absolutamente inovador de prova do crime rodoviário" e assim "melhorar imenso a prevenção".

As mortes registadas em acidentes rodoviários entre 2010 e 2015 diminuíram 33% em Portugal. Este ano, entre 1 de janeiro e 15 de setembro, os acidentes nas estradas portuguesas provocaram 305 mortos, menos 22 do que em igual período do ano passado.

Já o número de acidentes aumentou - mais 4.700 desastres rodoviários em comparação com o mesmo período do ano passado, indicam dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Entre 2006 e 2015, os acidentes nas estradas portuguesas provocaram 6.693 mortos, o equivalente à população do concelho algarvio de Castro Marim.

"A crise financeira e económica tirou muitos carros da estrada e, sobretudo, contribuiu muito para a redução das velocidades porque andar depressa custa dinheiro", diz o presidente da ACA-M.

O Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada 2016 assinala-se este domingo e pretende lembrar e homenagear as pessoas que perderam a vida e ficaram feridas nas estradas, bem como prevenir o registo de mais acidentes.

Fonte: TSF
Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

2015 Copyright – Todos os Direitos Reservados : VIDA DE BOMBEIRO